Pesquisa Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA)

Métodos Alternativos

ATENÇÃO PESQUISADORES

A Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), a partir da publicação da Resolução Normativa nº 18 do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA), que reconhece 17 (dezessete) métodos alternativos ao uso de animais em atividades de pesquisa no Brasil, recomenda a todos os pesquisadores no âmbito da Unoesc, o imediato atendimento e aplicação à norma supra, ratificando o prazo lá estabelecido de até 5 (cinco) anos, ou seja, até a data de 25/09/2019, como limite para a substituição obrigatória do método original pelo método alternativo. Lembramos que os protocolos de pesquisa em andamento com prazo de conclusão de seus respectivos projetos previstos para data anterior à data limite de 25/09/2019, podem seguir o seu fluxo normal conforme aprovado na CEUA; entretanto, os próximos protocolos a serem submetidos à avaliação desta Comissão, já devem prever os métodos alternativos, nos casos em que se aplicarem.

A descrição detalhada de como realizar cada um dos 17 ensaios in vitro reconhecidos está disponível, gratuitamente, no site da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em inglês e francês.
 

– Potencial de irritação e corrosão da pele
1) OECD TG 430 – corrosão dérmica in vitro: teste de resistência elétrica transcutânea
2) OECD TG 431 – corrosão dérmica in vitro: teste da epiderme humana reconstituída
3) OECD TG 435 – teste de barreira de membrana in vitro
4) OECD TG 439 – teste de irritação cutânea in vitro

– Potencial de irritação e corrosão ocular
5) OECD TG 437 – teste de permeabilidade e opacidade de córnea bovina
6) OECD TG 438 – teste de olho isolado de galinha
7) OECD TG 460 – teste de permeação de fluoresceína

– Potencial de fototoxicidade
8) OECD TG 432 – teste de fototoxicidade in vitro 3T3 NRU

– Absorção cutânea
9) OECD TG 428 – método in vitro de absorção cutânea

– Potencial de sensibilização cutânea
10) OECD TG 429 – sensibilização cutânea: ensaio do linfonodo local
11) OECD TG 442A – versão não radioativa do ensaio do linfonodo local
12) OECD TG 442B – versão não radioativa do ensaio do linfonodo local

– Toxicidade aguda
13) OECD TG 420 – toxicidade aguda oral: procedimento de doses fixas
14) OECD TG 423 – toxicidade aguda oral: classe tóxica aguda
15) OECD TG 425 – toxicidade aguda oral: procedimento “up and down”
16) OECD TG 129 – estimativa da dose inicial para teste de toxicidade aguda oral sistêmica

– Genotoxicidade
17) OECD TG 487 – teste do micronúcleo em célula de mamífero in vitro

 

Curso prático-teórico sobre Métodos Alternativos ao uso de animais (Anvisa e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial-ABDI)

 

CONHEÇA TAMBÉM O RENAMA:

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) estabeleceu, através da portaria nº 491 de 03 de Julho de 2012, a Rede Nacional de Métodos Alternativos (RENAMA, http://renama.org.br/

 

GUIA DE PESQUISA DO EURL ECVAM: FICHAS INFORMATIVAS 

Acesse aqui
 

GUIA DE PESQUISA DO EURL ECVAM: PROCEDIMENTO DE COLETA DE DADOS

Acesse aqui

GUIA: AS SETE ETAPAS DECISIVAS PARA UMA PESQUISA BEM SUCEDIDA

Acesse aqui

Voltar
Acesse o site da Unoesc pelo seu celular.