Notícias São Miguel do Oeste Professor

Professor da Unoesc tem artigo publicado em revista científica internacional

Por: Karine Bender
imprensa.smo@unoesc.edu.br
01 de Setembro de 2020

O professor e biólogo da Unoesc São Miguel do Oeste, Jackson Fabio Preuss, teve o seu artigo: "Ampla prática de criação suína ligada às alterações no microbioma cutâneo e doença em anfíbios associados a açudes" publicado, recentemente, na revista científica internacional, Environmental Science & Technology. O artigo é fruto de parte de sua tese de doutorado em Biologia.

Segundo o professor Jackson, a Environmental Science & Technology é um renomado periódico, classificado como "A1" pela Qualis Capes, com fator de impacto 7.149. O fator de impacto é um método bibliométrico que avalia a importância dos periódicos científicos. Além disso, o periódico recebeu a qualificação Q1, do Scimago Journal & Country Rank, que possui grande visibilidade internacional.

— Atribuir a um periódico, indicativo de qualidade A1 e Q1, significa avaliar a sua produção intelectual como excelente e relevante, no âmbito nacional e internacional, respectivamente. Isso vale também para o fator de impacto acima de 1,00 — explica o professor, acrescentando que a conquista confirma a excelência das pesquisas desenvolvidas pelos professores da Unoesc.

Além dos professores da Unoesc, Jackson Preuss e Eliandra Rossi, participaram do estudo os pesquisadores da Universidade do Alabama (EUA), Guilherme Becker, Wesley Neely e Sasha Greenspan; o pesquisador da Universidade de Massachusetts Boston (EUA), Douglas Woodhams; os pesquisadores da Unisinos, Alexandro Tozetti e Victor Valliati e a pesquisadora da Universidade Federal de Santa Maria, Elaine Gonsales.          

Sobre a pesquisa

Segundo o professor Jackson Preuss, a Ciência já sabe que a exposição a contaminantes ambientais tem o potencial de alterar a microbiota cutânea de vertebrados, alterando sua imunidade inata e adaptativa e, consequentemente, aumentando a probabilidade de surtos de doenças. Ele explica que, durante a pesquisa, os pesquisadores testaram se o descarte de resíduos na água, por meio da criação integrada de suínos e piscicultura, altera as comunidades microbianas da pele de anfíbios tropicais e se, consequentemente, aumenta o risco de quitridiomicose, uma doença causada pelo fungo patógeno Batrachochytrium dendrobatidis (Bd) e que vem sido associada ao declínio e extinção de muitas espécies.

— Nossos resultados indicam que, ao interromper os processos naturais de organização e função dos microbiomas, as descargas de dejetos oriundos da criação integrada de peixes e suínos podem aumentar a pressão de doenças em hospedeiros. Esse trabalho também destaca os mecanismos complexos subjacentes à dinâmica da montagem do microbioma e doenças da vida selvagem em ambientes poluídos. Além disso, lança uma nova luz sobre os impactos de uma prática agrícola generalizada na saúde das populações da vida selvagem — ressalta o professor Jackson Preuss.

Galeria de Fotos

Comentários

Voltar Imprimir Notícia
Acesse o site da Unoesc pelo seu celular.