Programa de Pós Graduação em Educação

Disciplinas e Atividades Obrigatórias - Doutorado

Ementa: Atividade de sistematização do projeto de tese e do seu desenvolvimento, realizada sob a orientação e avaliação do professor orientador. A produção esperada é o refinamento e aprofundamento do referencial teórico e a articulação desses referenciais com os demais aspectos da tese.

 

Bibliografias:

As bibliografias básica e complementar serão definidas pelo orientador em conjunto com seus orientandos, considerando o estágio de desenvolvimento da pesquisa e os temas e objetos de investigação de cada orientando.

Ementa: Atividade de sistematização do projeto de tese e do seu desenvolvimento, realizada sob a orientação e avaliação do professor orientador. A produção esperada é o refinamento e aprofundamento do referencial teórico e a articulação desses referenciais com os demais aspectos da tese.

 

Bibliografias:

As bibliografias básica e complementar serão definidas pelo orientador em conjunto com seus orientandos, considerando o estágio de desenvolvimento da pesquisa e os temas e objetos de investigação de cada orientando.

Ementa: Atividade de sistematização do projeto de tese e do seu desenvolvimento, realizada sob a orientação e avaliação do professor orientador. A produção esperada é o refinamento e aprofundamento do referencial teórico e a articulação desses referenciais com os demais aspectos da tese.

 

Bibliografias:

As bibliografias básica e complementar serão definidas pelo orientador em conjunto com seus orientandos, considerando o estágio de desenvolvimento da pesquisa e os temas e objetos de investigação de cada orientando.

Ementa: Atividade de sistematização do projeto de tese e do seu desenvolvimento, realizada sob a orientação e avaliação do professor orientador. A produção esperada é o refinamento e aprofundamento do referencial teórico e a articulação desses referenciais com os demais aspectos da tese.

 

Bibliografias:

As bibliografias básica e complementar serão definidas pelo orientador em conjunto com seus orientandos, considerando o estágio de desenvolvimento da pesquisa e os temas e objetos de investigação de cada orientando.

Ementa: Atividade de sistematização do projeto de tese e do seu desenvolvimento, realizada sob a orientação e avaliação do professor orientador. A produção esperada é o refinamento e aprofundamento do referencial teórico e a articulação desses referenciais com os demais aspectos da tese.

 

Bibliografias:

As bibliografias básica e complementar serão definidas pelo orientador em conjunto com seus orientandos, considerando o estágio de desenvolvimento da pesquisa e os temas e objetos de investigação de cada orientando.

Ementa: Atividade de sistematização do projeto de tese e do seu desenvolvimento, realizada sob a orientação e avaliação do professor orientador. A produção esperada é o refinamento e aprofundamento do referencial teórico e a articulação desses referenciais com os demais aspectos da tese.

 

Bibliografias:

As bibliografias básica e complementar serão definidas pelo orientador em conjunto com seus orientandos, considerando o estágio de desenvolvimento da pesquisa e os temas e objetos de investigação de cada orientando.

Ementa: Participação em atividade investigativa no âmbito da Linha de Pesquisa em que se insere o doutorando. Inserção e atuação nos projetos de pesquisa coordenados por professores pesquisadores do Programa.

 

Bibliografias:

As bibliografias básica e complementar serão definidas pelas Linhas de Pesquisa do Programa, considerando os temas e objetos de pesquisa dos professores.

Ementa: Apresentação de duas publicações ou uma publicação em periódico Qualis A, sendo um crédito por publicação ou dois créditos para publicação em periódico Qualis A.

 

Bibliografias:

As bibliografias básica e complementar serão definidas pelo orientando.

Ementa: Questões atuais da sociedade brasileira e suas interfaces com a educação. Levantamento de temas, autores, aportes e recortes disciplinares mais recorrentes no campo educacional nos últimos três anos.

 

Bibliografia Básica: 

BEHRING, E. R. Brasil em contra-reforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008. 

CUNHA, L. A. Educação, estado e democracia no Brasil. São Paulo, Brasília, Niterói: Cortez, FLACSO, EDUFF, 1991.

CURY, C.R.J. O público e o privado na educação brasileira contemporânea: posições e tendências. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 81, p. 33-44, maio, 1992.

FALEIROS, V. P. A política social do Estado Capitalista. 11. Ed. São Paulo: Cortez, 2008.

FERREIRA, Eliza Bartolozzi; OLIVEIRA, Dalila Andrade (Org). Crise da escola e políticas educativas. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 237-252.

KRAWCZYK, N. R.; VIEIRA, V. L. A reforma educacional na América Latina nos anos de 1990: uma perspectiva histórico-sociológica. São Paulo: Xamã, 2008.

MANACORDA, Mario A. História da educação: da antiguidade aos nossos dias. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1989.

OLIVEIRA, R. P.; SANTANA, W. (Org). Educação e Federalismo no Brasil: combater as desigualdades, garantir a diversidade. Brasilia, Unesco, 2010.

RODRIGUES, Fabiana de Cássia; COUTINHO, Luciana Cristina Salvatti. Apontamentos sobre educação e trabalho no Brasil contemporâneo: aspectos da contrarreforma educacional. Revista HISTEDBR, Campinas, v. 17, n. 3, p.886-905, jul./set. 2017.

 

Bibliografia Complementar:

ANTUNES, Ricardo; PINTO, Geraldo Augusto. A fábrica da educação: da flexibilização taylorista à flexibilização toytista. São Paulo: Cortez, 2017.

CUNHA, L. A. A universidade temporã: o ensino superior da Colônia à Era de Vargas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1986.
______. A universidade crítica: o ensino superior na República Populista. 2. Ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1989.

______. A universidade reformada: o golpe de 1964 e a modernização do ensino superior. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1988.

CUNHA, L. A. Educação, estado e democracia no Brasil. São Paulo, Brasília, Niterói: Cortez, FLACSO, EDUFF, 1991.

CURY, C. R. J. et al. Medo à liberdade e compromisso democrático, LDB e Plano Nacional de Educação. São Paulo: Ed. do Brasil, 1997.

CURY, C. R. J. O público e o privado na educação brasileira contemporânea: posições e tendências. Cadernos de  Pesquisa, São Paulo, n. 81, p. 33-44, maio, 1992.

FELDFEBER, M. (Comp). Autonomía y gobierno de la educación: perspectivas, antinomias y tensiones. Buenos Aires: Aique, 2009.

GENTILI, P. A falsificação do consenso: simulacro e imposição na reforma educacional do neoliberalismo. Petrópolis: Vozes, 1998.

GERMANO, J. W. Estado militar e educação no Brasil (1964-1985). São Paulo: Cortez, 1992.

HERMIDA, Jorge Fernando.; LIRA, Jailton de Souza. Políticas educacionais em tempos de golpe: entrevista com Dermeval Saviani, Educação & Sociedade, Campinas, v. 39, n. 144, p. 779-794, jul./set. 2018.

HOBSBAWM, E. A era dos extremos: o curso século XX (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

LESSARD, C.; CARPENTIER, A. Políticas educativas: a aplicação na prática. Petrópolis: Vozes, 2016.

MAGALHÃES, J. P. Os anos Lula: contribuições para um balanço crítico 2003-2010. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

MANCEBO, D. Crise político-econômica no Brasil: breve análise da educação superior. Educação & Sociedade, Campinas, v. 38, nº. 141, p. 875-892, out./dez., 2017.

NEVES, L. M. W. Brasil no ano 2000: uma nova divisão de trabalho na educação. Rio de Janeiro: Papéis e Cópias, 1997.

______. (Org.). Política educacional nos anos 90: determinantes e propostas. Recife: Ed. Universitária, 1995.

OLIVEIRA, D. A. Nova gestão pública e governos democrático-populares: contradições entre a busca da eficiência e a ampliação do direito à educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 36, n. 132, p. 625-646, jul./set. 2015.

OLIVEIRA, F.; BRAGA, R.; RIZEK, C. Hegemonia às avessas. São Paulo: Boitempo, 2010.

OLIVEIRA, R. P.; SANTANA, W. (Org.). Educação e federalismo no Brasil: combater as desigualdades, garantir a diversidade. Brasília, Unesco, 2010.

PLANK, D. N. The means of our salvation: public education in Brazil, 1930-1995. Boulder, Westview Press, 1996.

RODRIGUES, F. C. Apontamentos sobre educação e trabalho no Brasil contemporâneo: aspectos da contrarreforma educacional. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, v. 17. n. 3, p. 886-905, jul./dez. 2017.

SAVIANI, D. Vicissitudes e perspectivas do direito à educação no Brasil: abordagem histórica e situação atual. Educação & Sociedade, Campinas, v. 34, n. 124, p. 743-760, jul./set. 2013.

SCHWARCZ, L. M., STARLING, H. M. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

STOBART, G. Tiempos de pruebas: los usos y abusos de la evaluación. Madrid: Morata, 2010.

TEIXEIRA, A. Educação para a democracia. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1997.

VAN ZANTEN, A. Les politiques d’education. Paris: PUF, 2004.

XAVIER, M. E. S. P. Capitalismo e escola no Brasil. Campinas: Papirus, 1990.

Ementa: Estudo de abordagens teóricas em investigações relacionadas à linha de pesquisa.

 

Linha de Pesquisa Educação, Políticas Públicas e Cidadania

Bibliografia Básica:

ALVES, Alda Judith. A "revisão da bibliografia" em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n.81, p.53-60, maio 1992.

BALL, S. J.; MAINARDES, J. (Org.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

BALL, S. J. Performatividade, privatização e o pós-Estado do bem-estar. Educação e Sociedade, Campinas, v.25, n.89, p.1105-1126, set./dez., 2004

BELL, L.; STEVENSON, H. Education policy: process, themes and impact. London: Routledge, 2006.

BIANCHETTI, Lucídio. Estabelecendo interlocuções no processo de autoria: o desafio de escrever dissertações e teses. Mesa redonda: Condições, processos e contingências da autoria na pós- graduação brasileira. V Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul - AnpedSul. Curitiba, 27 a 30 de abril de 2004.

DUPAS, G. Atores e poderes na nova ordem global: assimetrias, instabilidades e imperativos de legitimação. São Paulo: UNESP, 2005.

EVANGELISTA, Olinda. Apontamentos para o trabalho com documentos de políticas educacional. In: ARAÚJO, Ronaldo Marcos de Lima; RODRIGUES, Doriedson S. (orgs.). A pesquisa em trabalho, educação e políticas educacionais. Campinas: Alínea, 2012. 188 p.

MAINARDES, A pesquisa sobre política educacional no Brasil: análise de aspectos teórico- epistemológicos. Educação em Revista. Belo Horizonte, n.33, 2017.

MAINARDES, Jefferson; TELLO, César. A pesquisa no campo da política educacional: explorando diferentes níveis de abordagem e abstração. Arquivos Analíticos de políticas educativas. v.24, n.75, 18 de junho, 2016.

PERONI, V. M. V. Política educacional e papel do Estado no Brasil dos anos 1990. São Paulo: Xamã, 2003.

SHIROMA, Eneida Oto; CAMPOS, Roselane Fátima; GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Decifrar textos para compreender a política: subsídios teórico-metodológicos para análise de documentos. Perspectiva, Florianópolis, v.23, n02, p.427-446, jul./dez.2005.

SILVA SCAFF, E. A. Cooperação internacional para o planejamento da educação brasileira: aspectos teóricos e históricos. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. v. 88, n. 219, p. 331-344, 2007.

 

Bibliografia Complementar:

AMARAL, Marcelo Pereira do. Política publica educacional e sua dimensão internacional: abordagens teóricas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.36, n. especial, p. 039-054, 2010.

APPLE, M. W. Educando à direita: mercados, padrões, Deus e desigualdade. São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire, 2003.

BALL, Stephen J. Educação Global S.A.: novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Trad. Janete Bridon. Ponta Grossa: UEPG, 2014. 270 p.

BOURDIEU, P. Los usos sociales de la ciência. Buenos Aires: Ediciones, 2000.

BRITO, A. S. O crescente interesse do Banco Mundial pela educação no Brasil: razões explicativas. Universidade e Sociedade, Brasília, ano XI, n. 26, p.83-96, fev. 2002.

CASIMIRO, Flávio Henrique Calheiros. A nova direita: aparelhos de ação política e ideológica no Brasil contemporâneo. São Paulo: Expressão Popular, 2018. 583p.

CEPAL. Educación y conocimiento: eje de La transformación productiva com eorias. Santiago, Chile: Cepal, 1992.

FALLEIROS, Ialê; PRONKO, Marcela Alejandra; OLIVEIRA, Maria Teresa Cavalcanti de. Fundamentos históricos da formação/atuação dos intelectuais da nova pedagogia da hegemonia. In; NEVES, Lúcia Maria Wanderley (Org.). Direita para o social e esquerda para o capital: intelectuais da nova pedagogia da hegemonia no Brasil.São Paulo: Xamã, 2010. p.39-95.

GRAMSCI, A. Os Intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1979.

GRAMSCI, Antonio. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

NEVES, L. M. W. (Org.) A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

NEVES, Lúcia Maria Wanderley (Org.). Direita para o social e esquerda para o capital: intelectuais da nova pedagogia da hegemonia no Brasil. São Paulo: Xamã, 2010. 223p.

OZGA, J. Investigação sobre políticas educacionais: terrenos de contestação. Porto: Porto Editora, 2000.

SEVERINO, Antônio Joaquim; FAZENDA, Ivani Catarina Arantes (Org.). Políticas educacionais: o ensino nacional em questão. Campinas: Papirus, 2003.

SHIROMA, E. O.; MORAES, M. C. M.; EVANGELISTA, O. Política Educacional. 2. Ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

SHIROMA, Eneida Oto; EVANGELISTA, Olinda. Estado, capital e educação: reflexões sobre hegemonia e redes de governança. Revista Educação e Fronteira On-line, Dourado/MS, v.4, n.11, p.21-38, mai./ago.2014.

TEODORO, A. Globalização e educação: políticas educacionais e novos modos de governo. Porto/Portugal: Afrontamento, 2003.

THOMPSON, E. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros.: uma critica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro: Zahar Editora, 1981.

 

Linha de Pesquisa Processos Educativos

Bibliografia Básica:

ALVES–MAZZOTTI, Alda. J. A revisão da bibliografia em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis. In: BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto (Org.). A Bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. 2.ed. Florianópolis: UFSC; São Paulo: Cortez, 2006.

Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Ética e pesquisa em Educação: subsídios. Rio de Janeiro: ANPEd, 2019. 133 p.

BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto (Org.). A Bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. 2.ed. Florianópolis: UFSC; São Paulo: Cortez, 2006.

BIRGIN, A. et al. (Org.). La formación docente: cultura, escuela y política – debates y experiencias. Buenos Aires: Troquel, 1998.

CARDOSO, Mirian Limoeiro. O mito do método. Trabalho apresentado no Seminário de Metodologia Estatística, realizado na PUC - Rio de Janeiro, janeiro-fevereiro de 1971.

CASANOVA, P. G. As novas ciências e as humanidades: da academia à política. São Paulo: Boitempo, 2006.

CHARLOT, Bernard. A Pesquisa educacional entre conhecimentos, políticas e práticas: especificidades e desafios de uma área de saber. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v.11, n.31, p.7-18, jan./abr. 2006.

LÜDKE, M. A complexa relação entre o professor e a pesquisa. In: ANDRÉ, Marli. (Org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. 3. Ed. Campinas: Papirus, 2004. P. 27-54.

LÜDKE, M.; CRUZ, G.B.; BOING, L. A. A pesquisa do professor da educação básica em questão. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v.14, n. 42, p.456-468, set./dez. 2009.

MAINARDES, Jefferson e CURY, Carlos Roberto Jamil. Ética na pesquisa: princípios gerais. In: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Ética e pesquisa em Educação: subsídios. Rio de Janeiro: ANPEd, 2019. 133 p.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Pesquisa educacional: da consistência epistemológica ao compromisso ético. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 3, p. 900-916, jul./set., 2019.

WELSCH, W. Mudança estrutural nas ciências humanas: diagnóstico e sugestões. Educação, Porto Alegre, ano XXX, v. 30, n. 2, p. 237-258, maio/ago. 2007.

 

Bibliografia Complementar:

ANDRÉ, Marli. (Org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. 3. Ed. Campinas: Papirus, 2004.

CAMPOS, M. M. Para que serve a pesquisa em educação? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 136, p. 269-283, jan./abr. 2009.

CARDOSO, Ciro Flamarion S. Como elaborar um projeto de pesquisa. Programa de Pós-Graduação em História. Niterói: UFF, s.d. (texto digitalizado).

CORTELLA, M. S. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos. São Paulo: Cortez, 1998.

ECO, Humberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1977.

GATTI, B. A pesquisa na pós-graduação e seus impactos na educação. Nuances: estudos sobre Educação. Presidente Prudente, SP, ano XIV, v. 15, n. 16, p. 35-49, jan./dez. 2008.

IMBERNÓN, F. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez, 2009.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: RJ, Vozes, 1994.

MONTEIRO, F. M. A.; MIZUKAMI, M. G. N. Professoras das séries iniciais do ensino fundamental: percursos e processos de formação. In: MIZUKAMI, M. G. N.; REALI, A. M. M. R. (Org.). Formação de professores, práticas pedagógicas e escola. São Paulo: Edufscar, 2002. P. 175-201.

NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e sua formação. Dom Quixote: Lisboa, Portugal, 1995.

PENIN, S.; MARTÍNEZ, M.; ARANTES, V. A. (Org.). Profissão docente: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2009.

POZO, Juan Ignácio. A nova cultura da aprendizagem – aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SACRISTAN, G. GÓMEZ, P. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SEVERINO, A. J. A pesquisa em educação: a abordagem crítico-dialética e suas implicações na formação do educador. Contrapontos, Itajaí, ano 1, n. 1, jan./jun. 2001.

ZEICHNER, K.; DINIZ-PEREIRA, Júlio E. Pesquisa dos educadores e formação docente voltada para a transformação social. Cadernos de Pesquisa, São Paulo v. 35, n. 125, p.63- 80, maio/ago.2005.

Ementa: Fundamentação teórico-metodológica e recursos técnicos de investigação de temas relacionados à linha de pesquisa.

 

Linha de Pesquisa Educação, Políticas Públicas e Cidadania

Bibliografia Básica: 

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Edição revista e ampliada. São Paulo: Edições 70, 2011, 279 p. 

BAUER M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, Vozes, 2002.

DALE, S. R. R. Pesquisar a educação em uma era globalizante. Educação & Realidade, Porto Alegre, v.36, n.2, p. 347-363, maio/ago. 2011.

DALE, Roger. Globalização e educação: demonstrando a existência de uma "Cultura Educacional Mundial Comum" ou localizando uma "Agenda Globalmente Estruturada para a Educação"?. Educação e Sociedade, v. 25, n. 87, 423-460, 2004.

FERREIRA, Liliane Soares. A pesquisa educacional no Brasil: tendências e perspectivas, Contrapontos, v. 9 n. 1,p. 43-54, jan/abr 2009.

MAINARDES, Jeferson. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006.

MAINARDES, Jeferson. A pesquisa sobre política educacional no Brasil: análise de aspectos teórico-metodológicos. Educação em Revista, Belo Horizonte, n.33, e173480, 2017.

MAINARDES, Jefferson. Reflexões sobre o objeto de estudo da política educacional. Laplage em Revista (Sorocaba), v.4, n. 1, p. 186-201, jan./abr. 2018.

OLIVEIRA, Denize Cristina de. Análise de conteúdo temático-categorial: uma proposta de sistematização. Revista de Enfermagem, v.16, n.04, p.69-76, out/dez, 2008.

SHIROMA, E. O.; CAMPOS, R. F.; GARCIA, R. M. C. Decifrar textos para compreender a política: subsídios teórico-metodológicos para análise de documentos. Perspectiva. Florianópolis, v. 23, n. 02, p.427-446, jul/dez. 2005.

SILVA, Antonia Almeida; JACOMINI, Márcia Aparecida. Pesquisa em políticas educacionais: escolhas temáticas e fontes em debate (2000-2010). Revista de Estudios Teóricos y Epitemológicos en Política Educativa, v. 4, p. 1-17, 2019.

SOUZA, Angelo Roberto. A teoria da agenda globalmente estruturada para a educação e sua apropriação pela pesquisa em políticas educacionais. RBPAE, v. 32, n. 2, 463 - 485, 2016.

ZANTEN, A. V. Pesquisa qualitativa em educação: pertinência, validez e generalização. Perspectiva, Florianópolis, v.22, n. 01, p. 25-45, jan./jun.2004.

 
Bibliografia Complementar:

AVELAR, Marinda. Entrevista com Stephen J. Ball: Uma Análise de sua Contribuição para a Pesquisa em Política Educacional. Archivos analíticos de políticas educativas (aape), v.24, n.24, 2016.

BALL, S. J.; MAINARDES, J. Políticas Educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.

BOWE, Richard; BALL, Stephen J.; GOLD, Anne. Reforming education and changing schools: case studies in policy
sociology. 2.ed., Routledge: Oxon, 2017.

COHEN, E.; FRANCO, R. Avaliação de projetos sociais. 10 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

COHEN, Louis; MANION, Lawrence. Métodos de investigación educativa. Tradución Francisco Agudo López. 2.ed.Editorial La Murallla: Madrid, 2002.

DUARTE, N. A pesquisa e a formação de intelectuais críticos na pós-graduação em educação. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n.1, jan./jun.2006.

FARIA, C. A. P. de. Ideias, conhecimento e políticas públicas: um inventário sucinto das principais vertentes analíticas recentes. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 18, n. 51, p. 21-19, fev. 2003.

JOBERT, B.; MULLER, P. L’Etat en action: politiques publiques et corporatismes. Paris: PUF, 1987.

MARQUES, Luciana Rosa; ANDRADE, Edson Francisco de; AZEVEDO, Janete Maria Lins. Pesquisa em política educacional e discurso: sugestões analíticas. RBPAE - v. 33, n. 1, p. 55 - 71, jan./abr. 2017.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 5.ed. Campinas, SP: Pontes, 2003.

RICO, E. M. (Org.). Avaliação de políticas sociais: uma questão em debate. São Paulo: Cortez, 1998.

SANTOS FILHO, J. C.; GAMBOA, S. S. Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. 5. ed.São Paulo: Cortez, 2002.

SOUZA, C. “Estado do campo” da pesquisa em políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 18, n. 51, p. 15-20, fev. 2003.

SOUZA, D. B. de; MARTÍNEZ, A. (Org.). Educação comparada: rotas de além-mar. São Paulo: Editora Xamã, 2009.

TELLO, César (comp.) Los objetos de estudio de la política educativa: hacia una caracterización del campo teórico. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Autores de Argentina, 2015.

 

Linha de Pesquisa Processos Educativos

Bibliografia Básica: 

BARBIER, R. A Pesquisa-Ação. Brasília: Plano Editora, 2002. (Série Pesquisa em Educação, v. 3).

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto Editora, 1994.

BOOTH, W.C.; COLOMB, G.G.; WILLIAMS, J.M. A arte da pesquisa. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BRANDÃO, C. R. A pergunta a várias mãos: a experiência da pesquisa no trabalho do educador. São Paulo: Cortez, 2003.

FRANCO, M.L.P.B. Análise do Conteúdo. Brasília: Plano Editora, 2003. (Série Pesquisa em Educação - v.6).

GAMBOA, S.S. Projetos de pesquisa, fundamentos lógicos: a dialética entre perguntas e respostas. Chapecó: Argos, 2013.

GATTI, B. A. A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Plano Editora, 2002.

GERALDI, C.M.G.; FIORENTINI, D.;PEREIRA, E.M.DE A.(Orgs) Cartografias do trabalho docente: professor(a)-pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras, 1998.

IBIAPINA, I.M.L.de M. Pesquisa Colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber Livro Editora, 2008. (Série Pesquisa em Educação - v. 17).

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MOROZ, M.;GIANFALDONI, M.H.T.A. O processo de pesquisa: iniciação. Brasília: Plano Editora, 2002.

SANTOS FILHO, J. C. dos; GAMBOA, S. S. (Org.). Pesquisa educacional: quantidadequalidade. 2. Ed. São Paulo: Cortez, 1997.

SANTOS, B. S. Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2004.


Bibliografia Complementar:

CAMPOS, M. M. Para que serve a pesquisa em educação? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 136, p. 269-283, jan./abr. 2009.

CHARLOT, B. A pesquisa educacional entre conhecimentos, políticas e práticas: especificidades e desafios de uma área. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 31, p. 7-18. Jan./abr. 2006.

COHEN, L.; MANION, L.; MORRISON, K. Research methods in education. London: RoutledgeFalmer, 2000.

GATTI, B. Implicações e perspectivas da pesquisa educacional no Brasil contemporâneo. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 113, p. 65-81, jul. 2001.

GATTI, B.A. Grupo Focal na pesquisa em Ciências Sociais e Humanas. Brasília: Liber Livro Editora, 2005. (Série Pesquisa em Educação, v. 10).

LEFEVRE, F.; LEFEVRE, A.M. Depoimentos e Discursos: uma proposta de análise em pesquisa social. Brasília: Liber Livro Editora, 2005. (Série Pesquisa, v. 12).

MORIN, A.; GADOUA, G., POTVIN, G. Saber, ciência, ação. São Paulo: Cortez, 2007.

SANTOS, B. S. (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2004.

SANTOS, BOAVENTURA DE SOUSA. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. In. SANTOS, BOAVENTURA DE SOUSA (Org.) Conhecimento Prudente para uma Vida Decente: 'Um Discurso sobre as Ciências' revisitado. São Paulo: Cortez, 2004.p.777-821.

TIBALLI, E.F.A.; CHAVES, S.M. (Org.s) Concepções e práticas em formação de professores: diferentes olhares. Rio de Janeiro: DP&a, 2003.

TRINDADE V., FAZENDA I., LINHARES C. (Org.). Os lugares dos sujeitos na pesquisa educacional. Campo Grande: UFMS, 2001.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VIANNA, H.M. Pesquisa em educação - a observação. Brasília: Plano Editora, 2003 (Série Pesquisa em Educação, v. 5).

ZAGO, N.;CARVALHO, M.P.;VILELA, R.A.T. (Orgs) Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em Sociologia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Ementa: Apreensão da argumentação que sustenta a articulação entre teoria e método na proposição de instrumentos metodológicos e investigações empíricas. Identificação de diferentes abordagens teórico-metodológicas que constituem a produção acadêmica na área da educação.

 

Bibliografia Básica:

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto Editora, 1991.

BOOTH, W.C.; COLOMB, G.G.; WILLIAMS, J.M. A Arte da Pesquisa. S.P.: Martins Fontes, 2000.

BRUYNE, Paul; HERMAN, Jacques; SCHOUTHEETE, Marc de. Dinâmica da Pesquisa em Ciências Sociais. 5. ed. R.J.: Francisco Alves, 1991.

COSTA, M. V. (Org.) Caminhos investigativos: novos olhares na pesquisa em educação. v. 1 e 2. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

ECO, U. Como se faz uma tese. 21. Ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.

GAMBOA, Silvio Sánchez. Projetos de pesquisa, fundamentos lógicos: a dialética entre perguntas e respostas. Chapecó: Argos, 2013.

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos da metodologia científica: teoria da ciência e prática da pesquisa. 14.ed. Petrópolis: Vozes, 1997.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. S.P.: EPU, 1986.(Temas básicos em educação e ensino).

MINAYO, M.C.S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

MOROZ, Melania; GIANFALDONI, Mônica H.T.A. O processo de pesquisa: Iniciação. 2.ed. Brasília: Liber Livro, 2006.

SANTOS, Boaventura de Sousa (Org.) Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2004.

SEVERINO, Antonio Joquim. Metodologia do trabalho científico. 18.ed. S.P.:Cortez, 1992.

WELLER, W.; PFAFF, N. (Org.). Metodologias da pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. Petrópolis: Vozes, 2010.

 

Bibliografia Complementar:

ABRAMOWICZ, Anete; MELLO, Roseli R. de. (Org´s). Educação: pesquisas e práticas. Campinas, S.P., Papirus, 2006.

BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana M.N. (Org´s). A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Florianópolis, Editora da UFSC/ Cortez Editora, 2002.

COHEN, L.; MANION, L. Métodos de investigación educativa. Madrid: Muralla, 1990.

DEMO, P. Metodologia científica em ciências sociais. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 1995.

FEYRABEND, P. Contra o método. 3. Ed., Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1989.

GATTI, B. A. A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Liber Livro, 2002.

HESS, R. Produzir sua obra: o momento da tese. Brasília: Liber Livros, 2005.

KÖCHE, J. C. Fundamentos da metodologia científica: teoria da ciência e prática da pesquisa. 14.ed. Petrópolis: Vozes, 1997.

LÖWY, M. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen: marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento. 4.ed. São Paulo: Busca Vida, 1987.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E.M. Técnicas de pesquisa. 3.ed. São Paulo: Atlas, 1996.

PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro; FRANCO, Maria Amélia S. Pesquisa em educação: alternativas investigativas com objetos complexos. S.P.: Edições Loyola, 2006.

REASON, P.; BRADBURY, H. The handbook of action research. Los Angeles: SAGE, 2010.

VIEIRA, S. Como escrever uma tese. São Paulo: Pioneira, 1991.

ZAGO, Nadir; CARVALHO, Marília P. de; VILELA, Rita A. T. (Org´s). Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em Sociologia da Educação. R.J.: DP&A,2003.

Ementa: Redação acadêmica. Levantamento e analise do estado do conhecimento do tema de pesquisa. Uso de recursos online. Análise de teses, dissertações e publicações sobre o tema de pesquisa. Análise da relação forma/conteúdo em livros, teses, dissertações e periódicos da área da educação.

 

Bibliografia Básica:

BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto (Org.). A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Florianópolis: UFSC, 2002.

BIANCHETTI, L. et al. Publique, apareça ou pereça: produtivismo acadêmico, ´pesquisa administrada´ e plágio nos tempos da cultura digital. Bahia. EDUFBA. 2018.

BIANCHETTI, Lucídio (Org.). Trama e texto: leitura crítica, escrita criativa. 2. ed. São Paulo: Summus, 2002.(v.1).

CARLINO, P. Escribir, leer, y aprender en la universidad: una introducción a la alfabetización académica. Buenos Aires, Fondo de Cultura Económica, 2005.

CARLINO, Paula. Escrever, ler e aprender na universidade: uma introdução à alfabetização acadêmica . Petrópolis, RJ: Vozes, 2017. 239 p. (Coleção Compreensão Leitora : teoria e prática).

COSTA, M. V. (org.). Caminhos investigativos II: outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

ECO, U. Como se faz uma tese. 23. Ed. São Paulo: Perspectiva, 2010.

FERNANDES, Christiane Caetano Martins; D’ÁVILA, Jorge Luis. O Estado do Conhecimento sobre a prática da pesquisa como instrumento pedagógico na educação básica: as produções acadêmicas dos programas de pós-graduação stricto sensu no Brasil. InterMeio: revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, Campo Grande, MS, v.21/22, n.42/44 p.181-201, 2015/2016. http://desafioonline.ufms.br/index.php/intm/article/viewFile/3377/2657.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, ano XXIII, n. 79, Agosto. 2002. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/es/v23n79/10857.pdf>.

MOROSINI, Marília Costa. Estado de conhecimento e questões do campo científico. Educação, Santa Maria, v. 40, n. 1, p. 101-116, jan./abr. 2015. Disponível em: < https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/15822>.

MOROSINI, Marília Costa; FERNANDES, Cleoni Maria Barboza. Estado do Conhecimento: conceitos, finalidades e interlocuções. Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 154-164, jul./dez. 2014.

ROMANOWSKI, Joana Paulin; ENS, Romilda Teodora. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educ., Curitiba, v. 6, n.19, p.37-50, set./dez. 2006. Disponível em: <https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/24176/22872>

 

Bibliografia Complementar:

ARNOUX, E. N. de (Org.). Escritura y producción de conocimiento en las carreras de posgrado. Buenos Aires: Santiago Arcos. 2009.

BIANCHETTI, Lucídio; SGUISSARDI, Valdemar (Org.). Dilemas da pós-graduação: gestão e avaliação. Campinas, SP: Autores Associados, 2009. xiv, 254 p. (Coleção educação contemporânea).

BIANCHETTI, Lucídio; SGUISSARDI, Valdemar. Da universidade commoditycidade: ou de como e quando, se a educação/formação é sacrificada no altar do mercado, o futuro da universidade se situaria em algum lugar do passado. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2017. 124 p.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Unesp, 2004.
CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez, 1995.

COSTA, M. V. (Org.). Caminhos investigativos: novos olhares na pesquisa em educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

FLICK, U. Qualidade na pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. 3 ed. Brasília: Liber Livro, 2008.

GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.

LANG, A. B. S. G. (Org.). Reflexões sobre a pesquisa sociológica. São Paulo: CERU, 1992.

LUNA, S. V. Planejamento de pesquisa: uma introdução. São Paulo: Editora PUCSP, 2006.

ZAGO, N.; CARVALHO, M. P.; VILELA, R. A. T. (Org.). Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em sociologia da educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Ementa: Acompanhamento da execução dos projetos de tese, tendo em vista a qualificação e o relatório de investigação. Estudo de metodologias e tratamento de dados de pesquisa qualitativa e quantitativa e utilização de software de análise de dados. Análise da repercussão da pesquisa, no âmbito das ciências humanas e sociais, nas políticas e práticas  educacionais.

 

Bibliografia Básica:

ANDRÉ, Marli. Etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus, 1995.

BOURDIEU, Pierre. Capítulo II: Introdução a uma sociologia reflexiva. BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel,1989. p. 17-58.

BOURDIEU, Pierre (Coord.). A miséria do mundo. 5 ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

COSTA, Marisa Vorraber (org.). Caminhos Investigativos II. Outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

DIAZ, E. (Org.). Metodología de las ciencias sociales. Buenos Aires: Editorial Biblos, 1997.

ESTEBAN, M. P. S. Pesquisa qualitativa em educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: AMGH Editora Ltda, 2010.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: ArtMed, 2009.

PAIXÃO, Lea Pinheiro. Catadoras de dignidade: assimetrias e tensões em pesquisa no lixão. In: Zago, Nadir; Carvalho, Marília Pinto de; Teixeira, Rita Amélia (Orgs.). Itinerários de pesquisa: perspectivas qualitativas em sociologia da educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

SANTOS, B. S; MENESES, M. P. (Org.). Epistemologias do sul. Coimbra: Almedina, 2009.

Vídeo: Ciranda, cirandinha, Claudia Fonseca, 27 min., 1994, Br. [FILME]

Vídeo: Ciranda, cirandinha, Claudia Fonseca, 27 min., 1994, Br.[ENTREVISTA]

Vídeo: O legado da Pesquisa Qualitativa – Minayo 51 minutos.

WELLER, W.; PFAFF, N. (Org.). Metodologias da pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. Petrópolis: Vozes, 2010.

 
Bibliografia Complementar:

BAQUERO, M. Pesquisa quantitativa nas ciências sociais. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

BIANCHETTI, L. Trama e texto: leitura crítica, escrita criativa. São Paulo: Summus Editorial,1997.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

BOOTH, W. C.; COLOMB, G. G.; WILLIAMS, J. M. A arte da pesquisa. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BRANDÃO, Z. Pesquisa em educação: pesquisas com pós-graduandos. Rio de Janeiro: PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2002.

DELGADO, J.M.; GUTIÉRREZ, J. (Org.) Métodos y técnicas cualitativas de investigación en ciencias sociales. Madrid: Síntesis, 1994.

GARCIA, R. L. Método: pesquisa com o cotidiano. Belo Horizonte: DP&A, 2003.

LÖWY, M. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen: marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento. 7.ed. São Paulo: Cortez, 2000.

MARQUES, M. O. Escrever é preciso: o princípio da pesquisa. Ijuí: Ed. Unijui, 2001.

MOREIRA, A. F. et al. (Org.). Para quem pesquisamos, para quem escrevemos: o impasse dos intelectuais. São Paulo: Cortez. 2001.

OLIVEIRA, I.B. de; ALVES, N. Pesquisa no/do cotidiano das escolas: sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

SANTOS, B. S; MENESES, M. P. (Org.). Epistemologias do sul. Coimbra: Almedina, 2009.

Ementa: Estudo das matrizes teóricas da educação contemporânea e de fundamentos filosóficos, epistemológicos, sociológicos e antropológicos das teorias educacionais. Análise dos contextos históricos e políticos das teorias educacionais e o debate sobre teoria, método e ação pedagógica.

 

Bibliografia Básica:

ADORNO, T. W. Para a metacrítica da teoria do conhecimento: estudos sobre Husserl e as antinomias fenomenológicas. Tradução de Marco Antonio dos Santos Casanova. São Paulo: UNESP, 2015.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. 3. Ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

DEMO, P. Complexidade e aprendizagem: a dinâmica não linear do conhecimento. São Paulo: Atlas, 2002.

DURKHEIN, E. Educação e sociologia. 12 ed., São Paulo: Melhoramentos, 1978.

MORIN, E. O problema epistemológico da complexidade. 2 ed. Portugal: Publicações Europa-América, 1996.

 

Bibliografia Complementar:

AGAMBEN, Giórgio. Profanações. São Paulo: Boitempo, 2007.

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? E outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

AGAMBEN, Giórgio. Nudez. Portugal/ Lisboa: Relógio D’Água Editores, 2010.

AGAMBEN, Giórgio, A comunidade que vem. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

ATLAN, Henri. O livro do conhecimento: as centelhas do acaso e a vida. Lisboa, Portugal: Instituto Piaget, 2000.

BERMAN, M. Tudo que é sólido desmancha no ar. São Paulo, Companhia das Letras, 1993.

CHALMERS, A. F. O que é ciência afinal? 2ª Reimpressão. São Paulo: Brasiliense, 1999.

DESCARTES, Rene. O discurso do método. São Paulo: Hemus, 1990.

FLICKINGER, Hans e NEUSER, Wolfgang. Teoria de auto-organização: as raízes da interpretação construtivista do conhecimento. Porto Alegre: Edipucs, 1994.

FOUCAULT, M. O cuidado com a verdade. In: FOUCAULT, M. Ditos e escritos. V. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003. p.240-251.

FUKUYAMA, F. O fim da história e o último homem. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

GADAMER, Hans-George. Verdade e Método. Petrópolis: Vozes, 1999.

HERMANN. Nadja. Pluralidade e ética em educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

KUHN, Thomas. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1978.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo ao ataque do ensino público. Londrina: Planta, 2004.

MATURANA, Humberto; VARELA, Francisco. De máquinas e seres vivos: autopoiese – a organização do vivo. 3.ed. Porto Alegre, RS.: Artes Médicas. 1997.

MATURANA, Humberto; VARELA, Francisco. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. Campinas/SP: Editora Psy II, 1995.

MÉSZÁROS, I. O desafio e o fardo do tempo histórico. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007.

MORIN, Edgar. O método 3. O conhecimento do conhecimento. 2 ed. Portugal: Publicações Europa-América, 1989.

_______. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 11. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2006.

_______. O problema epistemológico da complexidade. 2 ed. Portugal: Publicações Europa-América, 1996.

_______. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 7. ed. Trad. Eloá Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

PANTOJA VILLEJO, A. et al (Coord.). Diversidad y teorias de em educación. Jaén, Espanha: Joxman Editores, 2011.

POPPER, Karl. A vida é aprendizagem: epistemologia evolutiva e sociedade aberta. Portugal/Lisboa: Edições 70, 2001.

POSTMAN, N. O fim da educação: redefinindo o valor da educação. Lisboa: Relógio d’água, 2002.

PRIGOGINE, I. O fim das certezas. São Paulo: Unesp, 1998.

PRIGOGINE, Ilya e STENGERS, Isabelle. A nova aliança. Brasília: Editora UNB, 1997.

SAVIANI, D.; SANFELICE, J. L.; LOMBARDI, J. C. (Org.). Capitalismo, trabalho e educação. 3. Ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 4. ed. São Paulo: Autores Associados, 1984.

SOUSA SANTOS, B. (Org.) Conhecimento Prudente para uma Vida Decente. S.P: Cortez Editora, 2004.

SOUSA SANTOS, B. Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

YOUNG, M. F. D. Knowledge and control: new directions for the sociology of education. London: Collier-Macillan Publishers, 1971.

Voltar
Acesse o site da Unoesc pelo seu celular.