Mestrado Acadêmico em Biociências e Saúde

Eventos

No dia 2 de julho, a Unoesc por meio do Mestrado em Biociências e Saúde, promoveu um Seminário interno Integrado sobre a Saúde do Trabalhador. A atividade substituiu o Seminário presencial de Saúde do Trabalhador, realizado pela Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador do Conselho Municipal de Saúde de Joaçaba, órgão do qual a Universidade faz parte há mais de 10 anos. A atividade on-line, teve a participação acadêmicos das três primeiras fases do curso de Medicina, como atividade prática de ensino e extensão e convidados externos. 

O Seminário on-line abordou assuntos ligados a cinco doenças e condições patológicas que estão mais comumente envolvidas na saúde dos trabalhadores da região, relacionando-se essas situações com os conhecimentos adquiridos durante o semestre nos componentes curriculares de Fisiologia, Bioquímica e Farmacologia.

O  coordenador geral de Pesquisa, Pós-graduação, Extensão e Inovação da Unoesc, professor Jovani Steffani, destacou que  a atividade foi muito produtiva, haja vista que os alunos em suas produções e apresentações conseguiram correlacionar o conteúdo básico aprendido nas primeiras fases com situações clínicas reais, as quais terão que enfrentar no seu futuro profissional. Os professores Aline Remor e Diego de Carvalho destacaram que além de abordarem as questões relacionadas aos respectivos componentes curriculares, os acadêmicos exploraram as interfaces dessas doenças com questões pessoais, familiares, econômicas e sociais.

— Essa é mais uma forma de integração do Mestrado em Biociências e Saúde com o curso de graduação em Medicina e com as questões de saúde afetas à comunidade loco regional, confirmando a vocação comunitária da Unoesc — finalizou o coordenador.

MAIORES INFORMAÇÕES: 

>> CLIQUE AQUI <<

Já falamos aqui sobre as alternativas criadas por professores da graduação para administrar as aulas de forma remota desde março, quando o governo do Estado de Santa Catarina determinou a suspensão das aulas presenciais e que todos nós ficássemos em casa, devido ao risco de contaminação pelo Novo Coronavírus (Covid-19). Os acadêmicos também encontraram a sua forma de aprender repassando os ensinamentos de forma colaborativa, através das redes sociais. Até mesmo os acadêmicos que estão estudando fora do país foram lembrados. Contamos como eles estão enfrentando a pandemia em seus países. O último assunto relacionado às aulas diziam respeito ao Ensino a Distância, quando abordamos as vantagens para o ensino através das novas formas de aprendizado online.

Agora chegou a vez de falarmos sobre a área acadêmica, aqueles que contribuem para o aprimoramento profissional através das suas pesquisas, refletindo acerca da interação das suas profissões com as comunidades onde habitam. São os cursos de Mestrado e Doutorado.

A Unoesc conta com os programas de Mestrado e Doutorado em Administração (Unoesc Chapecó), Mestrado e Doutorado em Direito (Unoesc Chapecó), Mestrado e Doutorado em Educação (Unoesc Joaçaba), e ainda os cursos de mestrado em Biociência e Saúde (Joaçaba), Mestrado em Ciência e Biotecnologia (Unoesc Videira) e Mestrado em Sanidade e Produção Animal (Xanxerê).

“A aula online não substitui 100% a presencial, mas os professores têm se dedicado e se reinventado para que os alunos fiquem satisfeitos e tenham um bom aprendizado. O nosso feedback dos alunos tem sido bem positivo”, garante Fabiana.

Fonte: Blog Unoesc

 

Maiores informações:

>> CLIQUE AQUI <<

No dia 12 de novembro, ocorreu no Auditório D da Unoesc Joaçaba, a abertura do 4º Simpósio em Biociências Saúde e Sociedade e a 5ª Jornada Científica de Enfermagem. Voltado para os acadêmicos de graduação, pós-graduação, professores, profissionais da área de saúde e comunidade em geral, o evento teve por objetivo integrar e aproximar os conhecimentos das pesquisas básicas e aplicadas em biociências e saúde às questões relevantes para a sociedade, através da integração com a graduação, a pós-graduação e os poderes políticos regionais, com ênfase nas Doenças Crônicas Não Transmissíveis.

A abertura do simpósio, integrado à jornada científica, contou com uma apresentação musical do Coral Unoesc, mesa redonda: Interdisciplinaridade na abordagem das Doenças Crônicas Não Transmissíveis, mediada pela odontóloga e professora, doutora Grasieli de Oliveira Ramos.

De acordo com a professora do Mestrado de Biociências e do curso de Enfermagem, doutora Fabiana Dallacosta, o evento é muito importante porque congrega os alunos, professores da graduação e pós-graduação, compartilhando os trabalhos de pesquisas, iniciação científica e dissertação de mestrado, realizados durante o ano.

— Isso para nós é motivo de orgulho porque são os trabalhos de pesquisas da nossa instituição que a gente está divulgando para os demais alunos, professores e para toda a comunidade convidada — destacou a professora.

O 4º Simpósio aconteceu nos dias 12 e 13 de novembro e contou com mesa redonda, onde foram abordados os seguintes assuntos:  Interdisciplinaridade na abordagem das Doenças Crônicas Não Transmissíveis, Políticas Públicas, Avaliação global do idoso, Saúde bucal, Hipertensão e Doença Renal, Atualidades em Diabetes e Tratamento cirúrgico do Diabetes. Já a 5ª Jornada Científica, ocorre entre os dias 18 e 21 de novembro e conta com a apresentação dos TCCs do Curso de Enfermagem, 2º Encontro de Egressos do Curso de Enfermagem da Unoesc Joaçaba e Palestra show motivacional com Roselei Angst.

Conforme a coordenadora do curso de Enfermagem da Unoesc Joaçaba, professora mestre Márcia Restelatto, esse ano, a jornada será feita numa modalidade diferente, com palestras mais curtas, temas variados, com especialistas, que abordarão assuntos pertinentes para o crescimento do acadêmico visando melhorar a percepção dos alunos e profissionais que estão inseridos nas mais diversas áreas da saúde.

— A cada dia nós nos deparamos com situações atípicas na área de saúde e precisamos saber lidar com isso, então é um leque muito grande aonde o acadêmico precisa sim estar informado e apto a compreender essas situações adversas, e poder ofertar esse tipo e conhecimento nos gratifica muito — ressaltou a coordenadora.

Já o coordenador do curso de Mestrado em Biociências, professor doutor Jovani Antônio Steffani, ressaltou que os dois eventos congregados, de níveis distintos do ensino superior, graduação e pós-graduação, fazem parte da missão institucional da universidade de aproximar ensino, pesquisa e extensão, com o objetivo de transformar a realidade local.

— A sociedade de um modo geral é movida por resultados de pesquisas, desde a hora que a gente acorda com o despertar do celular, todas as vezes a gente se comunica, todas vezes que a gente usa o computador, isso tudo tem ciência envolvida, isso tudo é resultado do nosso trabalho, e desse nosso esforço coletivo — finalizou o professor.

Fonte: Unoesc

Maiores informações: >> CLIQUE AQUI <<

"INSCRIÇÕES AQUI"

OBJETIVOS

Integrar e aproximar os conhecimentos das pesquisas básicas e aplicadas em biociências e saúde às questões relevantes para a sociedade, através da integração com a graduação, a pós-graduação e os poderes políticos regionais, com ênfase nas Doenças Crônicas Não Transmissíveis.

ENVIO DE SUBMISSÕES DE TRABALHOS

Clique aqui

PÚBLICO-ALVO

Acadêmicos de graduação e pós-graduação; Professores; Profissionais da área da saúde.

 

PROGRAMAÇÃO DO SIMPÓSIO

 

12/11/2019 

19:30 – 20:00 ABERTURA E APRESENTAÇÃO CULTURAL

Mesa redonda: Interdisciplinaridade na abordagem das Doenças Crônicas Não Transmissíveis

Moderador: Profª Drª Grasieli de Oliveira Ramos - Odontóloga

20:00 – 20:30 – Políticas Públicas. Palestrante: Profª Drª Sirlei Favero Cetolin – Assistente Social e Psicóloga

20:30 – 21:00 – Avaliação global do idoso. Palestrante: Profª Drª Vilma Beltrame – Enfermeira

21:00 – 21:30 – Saúde bucal. Palestrante: Profº Drº Acir Dirschnabel – Odontólogo

21:30 – 22:00 – DISCUSSÃO

 

13/11/2019

Mesa redonda: Atualidades nas Doenças Crônicas Não Transmissíveis. Moderador: Profº Roberto Zilio –Cirurgião bariátrico.

19:30 – 20:00 -  Hipertensão e Doença Renal. Palestrante: Dr. Hotone Dallacosta – Nefrologista

20:00 – 20:30 – Atualidades em Diabetes. Palestrante: Profª Amanda Santos Dal Berto – Endocrinologista

20:30 – 21:00 – Tratamento cirúrgico do Diabetes. Palestrante: Profº Ms. Gustavo Rebelatto – Cirurgião Bariátrico

21:00 – 21:30 – DISCUSSÃO

21:30 – 22:00 – COQUETEL

DATA

12 de Novembro de 2019 a
13 de Novembro de 2019

 

PROGRAMAÇÃO DA V JORNADA CIÊNTÍFICA DE ENFERMAGEM

 

18/11 a 20/11 - Apresentação TCC do Curso de Enfermagem

21/11 - 19:30 às 20:15 -  II Encontro de Egressos do Curso de Enfermagem da Unoesc Joaçaba 

21/11 - 20:15 às 21:30 - Palestra show motivacional - Roseli Angst  

 

LOCAL

Auditório D – Campus I / Unoesc – Joaçaba

VAGAS

150 vagas

CARGA HORÁRIA

-

INVESTIMENTO

Gratuito

CONTATO

Fone: (049) 3551-2000 - Ramal 2112

E-mail: ppgbs@unoesc.edu.br

O estudo intitulado “Capim-cidrão (Cymbopogon citratus) apresenta efeito antitumoral em células imortalizadas do câncer do colo uterino (SiHa)”, de autoria da discente, Daiane Pan, do curso de Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc, foi contemplado como primeiro lugar na categoria de melhor trabalho no 3º Simpósio em Saúde e Alimentação promovido pela Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS - Campus Chapecó), nos dias 28 e 29 de agosto. O evento contou com excelentes profissionais das diferentes áreas da saúde, como nutricionistas, biólogos, médicos, farmacêuticos e biomédicos, que debateram temas emergentes e pertinentes, como obesidade, câncer e doenças neurodegenerativas, com ênfase no poder de proteção dietético.

A pesquisa realizada pela discente Daiane, teve orientação da professora doutora Francine Carla Cadoná e coorientação do professor doutor Jovani Antônio Steffani além da colaboração de Larissa Machado, aluna de graduação do curso de Ciências Biológicas. O objetivo do estudo foi avaliar o efeito antitumoral e na atividade quimioterápica in vitro do capim-cidreira (Cymbopogon citratus) em linhagem de câncer de colo de útero (SiHa). Além disso, essa investigação teve como intuito analisar os efeitos do extrato em células normais, buscando evitar efeitos colaterais e garantir concentrações seguras.

— Os resultados apontaram que o extrato de capim-cidreira diminuiu a viabilidade das células tumorais. Vale ressaltar, que nesse estudo, as culturas de células saudáveis foram expostas às mesmas concentrações de capim-cidreira que haviam sido utilizadas para tratar as células de câncer de próstata. Os resultados não evidenciaram efeitos citotóxicos, sugerindo assim, que esse extrato tem ação específica para células cancerígenas, apresentando efeitos colaterais reduzidos ou nulos — explicou Daiane.

Portanto, analisando os resultados desse estudo, pode-se concluir que o capim-cidreira possui uma ação antitumoral promissora no tratamento do câncer de colo de útero. Sua utilização, no entanto, exige estudos clínicos randomizados realizados em pacientes acometidos por essa doença para atestar sua eficácia como terapia adjuvante no tratamento do câncer de colo de útero.

A Unoesc, pautada na sua missão de colaborar com o processo de desenvolvimento humano e social, científico e tecnológico, por meio do Programa de Mestrado em Biociências e Saúde (PPGBS), contribuiu com o 6º Congresso Internacional de Envelhecimento Humano, realizado em Campina Grande no estado da Paraíba de 26 a 28 de junho.

O evento, que teve como tema, Envelhecimento Humano no Século 21: atuações efetivas na promoção da saúde e políticas sociais, contou com a presença de mais de 3 mil participantes, foi promovido por um conjunto de Universidades e diferentes instituições públicas de todo o país, com apoio do CNPq e da CAPES.

O coordenador do PPGBS da Unoesc Joaçaba, professor doutor Jovani Antônio Steffani debateu sobre o assunto“Tontura e Vertigem no Idoso: Diagnóstico Otoneurológico na Atenção Integral em Saúde”.

Segundo Steffani, com a melhoria das condições de vida a população brasileira está vivendo mais e com isso surge um conjunto de doenças crônicas que demandam a atenção da área da saúde. A vertigem e a tontura se constituem como o segundo sintoma mais presente na população mundial até os 65 anos e, após essa idade, se tornam os sintomas mais comuns e de maior frequência nas consultas. Cerca de 85% dessas queixas têm origem em doenças do sistema vestibular periférico e central (que controla o equilíbrio das pessoas).

— Essa temática deve ser abordada não somente por sua importância pela grande prevalência na população em geral e idosa, mas também pelo fato de que as mais de uma centena de afecções que causam a tontura e a vertigem são diagnosticadas, equivocadamente pela maioria dos médicos, como labirintites, as quais representam menos de 2% dos casos — destaca o pesquisador.

Ainda de acordo com o professor, só o diagnóstico correto da causa é que poderá determinar o tratamento adequado. Por essa razão, identificar tudo como labirintite representa um perigo, principalmente para a população idosa, por conta de constituírem uma população exposta ao risco da polifarmácia (uso excessivo e indiscriminado de medicamentos), sujeitos a inúmeros efeitos colaterais que podem piorar muito o quadro clínico geral e levar à morte prematura, ao invés de trata-los.

Para o coordenador, tratar todas as labirintopatias como sendo meras “labirintites” sem que seja feito uma avaliação otoneurológica adequada, custa muito caro ao sistema de saúde por conta das complicações, internações e solicitação de outros exames desnecessários, sem contar os danos irreparáveis, representados pelo sofrimento e pela morte. Sendo assim, todos os pacientes com sintomas de tontura ou de vertigem sem causa aparente, deveriam obrigatoriamente realizar avaliação otoneurológica antes de serem submetidos a tratamentos, principalmente medicamentoso.

— Sugere-se aos pacientes que tenham esses sintomas que peçam aos seus médicos que providenciem um pedido de avaliação otoneurológica antes de medicá-los, essa atitude salvará vidas e previne inúmeras complicações clínicas e gastos desnecessários— finaliza o professor.

 

A Escola de Educação Básica Estadual Professor Mansueto Boff, desenvolveu, em sua proposta pedagógica um projeto denominado “O CORAÇÃO NÃO TEM RUGAS”, o qual tem por objetivo a valorização e o respeito ao idoso, ao mesmo tempo que busca incentivar o aluno a resgatar algo que pode estar esquecido na memória do idoso e aproximar pessoas de diferentes idades. A profa. Dra. Vilma Beltrame, docente do programa de Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc Campus de Joaçaba, contribuiu palestrando para alunos do 3º ano do Ensino Médio e 9º ano do Ensino Fundamental (matutino e vespertino), sobre "a valorização do idoso".

A atividade aconteceu em 11 e 18 de junho de 2019.

A Rede de Proteção da Criança e do Adolescente do município de Monte Carlo desenvolveu ações de orientação e prevenção de violência, abuso e exploração sexual junto à comunidade.
A psicóloga do município de Monte Carlo/SC, Srª Diana Tavares da Rosa, Especialista em Impactos da Violência na Saúde (ENSP -Fiocruz - RJ), egressa do Programa de Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc Joaçaba e bolsista da CAPES, em parceria com a Srª Sandra Regina dos Santos, Assistência Social do CRAS e o Sr. Felipe Tiago Pontes, Professor de Educação Física da Rede Municipal de Ensino e demais representantes da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente (Conselho Tutelar, Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social, Secretaria de Educação), desenvolveu diversas ações alusivas à Campanha Faça Bonito durante nos meses de abril e maio de 2019.
O Objetivo desta, é despertar a sociedade para a importância da proteção da criança e do adolescente por meio da prevenção ao abuso e a violência sexual. Algo que iniciou a partir de uma reunião entre membros do Conselho Municipal de Assistência Social e representante da Secretaria de Assistência Social em 2014, e resultou em uma ação pontual (um Pit Stop e uma palestra) naquele ano, hoje representa algo muito mais expressivo. A Campanha está na sua 6ª Edição no
município. Mesmo diante de algumas dificuldades, a cada ano a rede de proteção atrai novos adeptos de diferentes faixas etárias em defesa da causa. Em reunião intersetorial realizada em 01/04/2019 com representantes da rede foram discutidas e pactuadas as ações e elaborado o cronograma de execução.
Uma das metodologias utilizadas em 2019 foi a modalidade “Multiplicadores”.
Em parceria com as escolas a equipe traçou um perfil a partir dos objetivos definidos com a rede e o corpo docente realizou a indicação das crianças e adolescentes para o desenvolvimento deste trabalho preventivo. Além dos alunos das Rede Municipal de Ensino, a Campanha envolveu jovens do Ensino Médio da Escola Estadual presente no território de saúde, Centro de Educação de Jovens e Adultos, grupos de mulheres, de professores, de pais, de idosos, e outros grupos comunitários incluindo grupos de duas denominações religiosas.
A psicóloga ressaltou a necessidade de ações permanentes capazes de orientar, proteger, prevenir situações de abuso, exploração e violência sexual contra crianças e adolescentes. Destacou ainda que estes devem saber identificar “seu adulto de confiança” e a importância do fortalecimento de vínculo nesta relação para que em casos de dúvidas quanto às situações de riscos possam “quebrar o silêncio”, evitar violação de direitos, e/ou quebrar um ciclo de violência já existente. A maioria dos casos registrados acontecem no ambiente familiar, sendo que é dever da família zelar e proteger de toda qualquer forma de violação. A violência deixa marcas profundas, podem interferir severamente no curso do desenvolvimento físico, psíquico e social do ser humano sob tais condições. Além da prevenção é preciso que a sociedade esteja atenta para denunciar e assim, a intervenção possa ser realizada o mais cedo possível, no intuito de reparar os danos provocados e iniciar o processo de ressignificação da experiência traumática.

A Assistente Social Sra. Sandra mostrou-se realizada com o resultado e esclareceu que o trabalho em rede vem contribuindo para que a sociedade se permita ouvir e falar sobre essa temática, além de abrir os olhos para esses casos efetuando a denúncia quando necessário. A violência sexual ainda representa um tabu nos dias atuais. Na oportunidade, Sandra agradece a todos que direta ou indiretamente contribuíram com essa campanha despertando em muitos um olhar especial sobre a garantia de direito de nossas crianças e adolescentes.
O Professor e também membro do CMDCA do município, Sr Felipe Pontes destacou que: “Foi uma sensação incrível poder participar do sexto ano da Campanha "Faça Bonito no município de Monte Carlo". Reconheceu as variedades das ações realizadas, as parcerias firmadas e, a sensibilização por parte da comunidade que participaram da campanha assumindo o compromisso de proteger. Ressaltou que o mais importante foi o diálogo que propiciou espaço para a quebra do silêncio que tanto oprime as crianças e adolescentes que sofrem com a violência. E que a coordenação da Campanha foi muito feliz ao decidir pela formação de multiplicadores.
Estes puderam participar de forma ativa desde a fase de planejamento até a execução das ações, oportunizando a troca de ideias em diferentes espaços a partir de metodologias condizentes a cada público. Felipe acredita que a partir dos multiplicadores a Rede de Proteção conseguiu novos membros que, sensibilizados darão continuidade aos trabalhos de conscientização e proteção. A equipe informou que já avaliou a 6ª Edição da Campanha a fim de efetuar melhoria em 2020.

Maiores informações >> CLIQUE AQUI <<

Acontece de 3 a 7 de junho de 2019 a Semana acadêmica de Enfermagem no município de São Miguel D'Oeste - SMO, em 4 de junho contou com a participação das docentes do Programa de Mestrado em Biociências e Saúde, Dra. Fabiana Meneguetti Dallacosta e Dra. Vilma Beltrame. A atividade aconteceu no período noturno na Unoesc Campus de SMO. 

A Professora Vilma Beltrame palestrou sobre: "Equidade em Saúde". 

A professora Fabiana Meneguetti Dallacosta sobre: "Perspectiva Histórica e Contemporânea do Cuidado em Enfermagem".

Maiores informações >> CLIQUE AQUI <<

Entre os dias 3 e 5 de maio, o Elcio Luiz Bonamigo, do Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc esteve visitando quatro museus da Espanha que contêm instrumentos cirúrgicos da época greco-romana. A viagem fez parte de estudos prévios que visam colher fotografias e informações que servirão de subsídios para a elaboração de um artigo científico e possivelmente um livro que serão elaborados no âmbito da Graduação em Medicina.

Maiores informações >> CLIQUE AQUI <<

Neste mês de maio, várias reflexões críticas sobre os problemas éticos que permeiam o campo da saúde foram realizadas no 6º Ciclo de Debates em Bioética, que teve como tema: “Vacinação: desafios Éticos Contemporâneos” e aconteceu na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Neste ano, em especial, o evento contou a participação do professor doutor, que atua no Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc, Bruno Schlemper Junior. Ele palestrou juntamente com as pediatras Sonia Maria de Faria e Jucélia Maria Guedert sobre “Aspectos éticos e bioéticos da vacinação obrigatória contra a Influenza dos Profissionais da Saúde e nas epidemias/pandemias”.

Maiores informações >> CLIQUE AQUI <<

 

O Mestrado de Biociências e Saúde participa diretamente da Comissão Intersetorial em saúde e Segurança do Trabalhador e da Trabalhadora (CISTT) de Joaçaba, representando a Unoesc. A CISTT, promoveu inúmeras ações do Abril Verde, mês dedicado à prevenção de doenças acidentes e mortes no ambiente de trabalho. Ao todo, foram mais de 40 atividades realizadas em Joaçaba Herval d' Oeste e Luzerna, com o objetivo de chamar a atenção para as estatísticas referentes à doenças, acidentes e mortes no ambiente laboral e ainda, voltadas para a prevenção, tanto pelo repasse de informações sobre uso de equipamentos de proteção, como atividades voltadas à saúde dos trabalhadores.

O Mestrado, por sua vez, teve participação na realização dessas ações e isso ocorreu por meio da realização de 392 exames, entre eles otoscopias, audiometrias via aérea e óssea, audiometrias vocais, HIV, Hepatites, sífilis e glicemia em trabalhadores das cidades de Joaçaba e Herval d' Oeste. Esses exames foram realizados no AMU e em uma unidade móvel em parceria com o SESI local.

Representantes do Mestrado também promoveram e organizaram, no dia 25 de abril, o 8º Seminário de saúde do trabalhador e da Trabalhadora que teve como tema "Saúde e Segurança nos dias Atuais" realizado no Auditório Afonso Dresch na Unoesc, Joaçaba.

Para o coordenador do Mestrado, professor Jovani Antônio Steffani, o apoio à uma campanha como a do Abril Verde, demonstra a preocupação em reverter as estatísticas negativas quanto às doenças e acidentes que vitimam tantos trabalhadores. De acordo com dados do Observatório de Saúde e Segurança do Ministério Público do Trabalho (MPT), Santa Catarina ocupa a 4ª posição em gastos com pagamentos de benefícios previdenciários por acidente de trabalho e doenças ocupacionais.

— Dessa forma o Programa de Mestrado em Biociências e Saúde realiza a sua inserção social, colabora com o desenvolvimento regional, e proporciona diferentes cenários para ensino e aprendizagem de estudantes da Pós-Gradução Stricto Sensu e também da graduação — afirmou Jovani.

Fonte: Unoesc

Maiores Informações >>CLIQUE AQUI<<

Entre dos dias 27 e 29 de abril, o professor Rudy José Nodari Junior estará em Londres participando do 28º Isokinetic Medical Group Conference e FIFA Medical Center of Excellence (28ª Conferência do Grupo Médico da Isokinetics e Centro Médico de Excelência da FIFA - em Tradução livre), que é considerado o maior evento de futebol do mundo. Na oportunidade, o professor apresentará dois trabalhos sobre Dermatoglifia Digital realizados por professores da Unoesc Joaçaba, Chapecó e Xanxerê, alunos do Mestrado em Biociências em Saúde, membros da Rede Internacional de Motricidade Humana (IMHN) e colaboradores externos.

O primeiro estudo a ser apresentado é “Dermatoglyphics: features observed in soccer high performance athletes by field position” (Dermatoglifia: características observadas em atletas de alto rendimento de futebol por posição de campo, em tradução livre). Os dados foram coletados na cidade de Chapecó, tendo como objeto de estudo atletas da escolinha da Chapecoense. Esse estudo buscou observar existem marcas dermatoglíficas que possam proporcionar aos técnicos o direcionamento dos atletas por posição no campo.

— Isso otimiza o trabalho realizado pelas equipes. Pois com base nos dados o atleta já treina direto na posição que irá ocupar — explicou o professor Rudy.

Já o segundo estudo, intitulado “Dermatoglyphics profile of professional soccer referees” (Perfil dermatoglífico de árbitros de futebol profissional, em tradução livre), avaliou os árbitros da Federação Paulista de Futebol de Campo, por meio de uma bateria de testes propostos pela FIFA.

— Independentemente das características de cada árbitro, a Dermatoglifia observou que todos têm alta potencialidade para resistência, característica essa, necessária para a profissão — comentou Rudy.

 

AUTORES DOS ESTUDOS

Professor do PPGBS:

Rudy José Nodari Júnior 

ALUNOS DO PPGBS:

Josiane Aparecida de Jesus 

Eliton Zanoni 

EGRESSOS DO PPGBS:

Renan Souza 

Sandro Claro Pedrozo 

 

DEMAIS PESQUISADORES:

Rogério José Neves - Sportslab

Mônica Sêncio Paes - Wise Dermatoglifia

Alexandre Heberle - Salus Dermatoglifia

Elisabeth Baretta - Unoesc Joaçaba

Rafael Cunha Laux - Unoesc Chapecó

 

VÍDEO >>CLIQUE AQUI<<

Fonte: Salus Dermatoglifia

MAIORES INFORMAÇÕES >>CLIQUE AQUI<<

Fonte: Unoesc

 

A diretoria da SBB/SC convida a todas e a todos para participarem do VI Ciclo de Debates em Bioéticaorganizado pela Sociedade Brasileira de Bioética com apoio do NUPEBISC. O objetivo dos ciclos é promover a reflexão crítica sobre os problemas éticos que permeiam o campo da saúde. O VI Ciclo de Debate em Bioética ocorrerá no dia 07 de maio e abordará a questão da vacinação e seus desafios éticos contemporâneos.

O evento contará com a participação de membros da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), professores Bruno Schlemper Júnior, Jucélia Maria Guedert e Sônia Maria de Faria. As inscrições serão gratuitas e os participantes receberão certificado de duas horas.

Fonte: NUPEBISC

Maiores informações >> CLIQUE AQUI <<

INSCRIÇÕES  >> CLIQUE AQUI <<

 

Atualmente, em torno de cinco mil mortes por dia (3,5 mortes por minuto) ocorrem no mundo provocadas por acidentes e doenças do trabalho. No Brasil são 23,28 mortes por dia. Tendo em vista estes números o Conselho Municipal de Saúde de Joaçaba criou no ano de 2010 a Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (CISTT), com o objetivo de assessorar o Conselho nesse assunto e propor alternativas para minimizar esses dados na nossa cidade.

Uma das estratégias iniciais da CISTT foi a realização de um seminário para discussão do tema. O seminário se mostrou uma ferramenta eficaz no sentido de trazer à tona a discussão acerca do grande número de acidentes e doenças ocupacionais com toda a sociedade. Permite também estimular a discussão sobre o papel e responsabilidades do poder público, dos trabalhadores e das empresas nesse contexto e sobre as políticas públicas necessárias para diminuir os índices registrados hoje. Além disso, permite disseminar a idéia junto aos trabalhadores de que sua saúde deve estar em primeiro lugar e ser preservada independente da natureza do seu trabalho.

Além dos parceiros tradicionais como sindicatos de trabalhadores e entidades patronais, o trabalho da CISTT também conta com o apoio da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde do Trabalhador da Assembléia Legislativa de Santa Catarina, que vem fomentando o debate nesta área por todo o estado. Somente numa ação conjunta, somando esforços das empresas, trabalhadores e poder público, poderemos almejar um resultado positivo no sentido de minimizar este problema na nossa região. Junte-se a esta causa que é para o benefício de todos.
Sejam todos bem vindos ao VIII Seminário de Saúde do Trabalhador de Joaçaba/SC.

Data: 25/04/2019
Local: Auditório Afonso Dresch - UNOESC
Início: 19:00hs

REALIZAÇÃO:

- CISTT - Comissão Intersetorial em Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora do Conselho de Saúde de Joaçaba/SC
- Programa de Mestrado em Biociências e Saúde da UNOESC

 

COMISSÃO ORGANIZADORA E PARCEIROS DO EVENTO:


INSS: Marisa Magali Maieski Wames
UNOESC/ Mestrado em Biociências e Saúde: Jovani Steffani
Conselho Municipal de Saúde: Mariana Zopeletto / Márcia Restelatto / Danieli Rebonatto
Secretaria Municipal de Saúde: Bárbara Picoli / Valmor Reisdorfer
NUCRESS Meio Oeste: Cláudia Rodrigues de Souza
FIESC/SESI/SENAI: Robinson Dresch
IIFC-Campus Luzerna: Giordana Ferreira de Oliveira Caramori
Sindicato dos trabalhadores no comércio: Edson Damin
Sindicato dos trabalhadores na indústria de carnes: Luiz Andrade / Ione Franco
Sindicato dos trabalhadores na agricultura: Dileto Paganini
Sindicato dos trabalhadores no serviço público municipal: Pedro Alvadir Pereira/Jorge Luiz Rosa
Sindicato dos trabalhadores na saúde: Antonia Fátima Gab / Miguel Garipuna
Sindicato dos bancários: Ademir Zambiazzi / Rodney Tosi
Sindicato dos metalúrgicos e do material elétrico: Hilário Batista / Juliane Mattes
Sindicato dos trabalhadores na construção civil: Pedro Nogueira / Junior Correa
OAB Joaçaba: Caroline Zecca
Justiça do Trabalho - Programa Trabalho Seguro: Lisiane Vieira
Ministério Público do Trabalho: Anderson Luiz Corrêa da Silva
Prefeitura de Herval d'Oeste: Mauro Martini / Marisa Langer
Assessoria de imprensa e marketing: Prefeitura de Joaçaba / Gustavo Deon
Concurso e mostra fotográfica: Alessandra de Barros / Jair Antonio Schüler
Designer gráfico: Anghelo Ricardo Rodrigues

 

Maiores informações:

>> CLIQUE AQUI <<

 

Matéria site Caco da Rosa :

>> CLIQUE AQUI <<

A Unoesc, instituição já reconhecida pela sua relevância social como agente de desenvolvimento regional, por meio do Programa de Mestrado Interdisciplinar em Biociências e Saúde, disponibilizou três pesquisadores para atuarem como palestrantes e mediadores nas etapas municipais da "Conferência Nacional de Saúde/2019", em municípios de toda a sua região de abrangência. As etapas da conferência são fundamentais para a gestão analisar as demandas e prioridades locais e formular propostas sendo a participação da comunidade na saúde, um direito de cidadania, garantido pela Constituição Federal.

Representando o Mestrado de Biociência e Saúde, a Professora doutora Sirlei Fávero Cetolin palestrou nos municípios de Itapiranga e Belmonte, a Professora doutora Vilma Beltrame coordenou o grupo de trabalho do Eixo II no município de Joaçaba e, o Professor doutor Jovani Antônio Steffani palestrou no município de Herval d'Oeste.

Na Lei nº 8142 de 28 de dezembro de 1990 estão previstas Conferências de Saúde, a cada quatro anos, e Etapas Municipais da Conferência Nacional, que devem acontecer, obrigatoriamente, no terceiro ano do governo municipal. Este ano, Brasília vai sediar a 16ª Conferência Nacional de Saúde, entre os dias 4 e 7 de agosto. Com o tema principal “Democracia e Saúde”, os eixos temáticos serão: Saúde como direito, Consolidação dos princípios do SUS e Financiamento.

— Em um período de transição nos governos estaduais e Federal, é de suma importância que as Etapas Municipais elaborem um diagnóstico detalhado sobre a situação da saúde pública naquela localidade para que soluções possam ser viabilizadas. Além disso, é nesse encontro que são eleitos os delegados que participarão das conferências estadual e nacional, que poderão decidir os rumos das políticas públicas de saúde que o Brasil precisa — destacou o coordenador do Programa de Mestrado, Professor Jovani Steffani.  

Maiores informações:

>> CLIQUE AQUI <<

A mestre em Biociências e Saúde pela Unoesc Joaçaba, professora Ana Paula Pereira, apresentará, no 11º Encontro Nacional de Qualidade de Vida na Segurança Pública, como trabalho oral, na categoria ISMA BR acadêmica, (International Stress Management Association in Brazil) o resumo “Fatores ergonômicos cognitivos no processo de trabalho de enfermeiros de uma instituição hospitalar”, aprovado pela comissão científica, o resumo foi embasado na dissertação de mestrado, com defesa realizada em novembro de 2016.

 O evento será realizado entre os dias 2 e 4 de julho em Porto Alegre-RS, e abordará as frequentes pressões e demandas vividas na rotina diária que geram um nível de stress intenso e constante, afetando um número cada vez maior de profissionais no Brasil, desencadeando condições de adoecimento crônico como depressão, doenças cardiovasculares e exaustão física e mental.

Para falar sobre esse assunto, entre outros reconhecidos profissionais, a ISMA-BR trará ao Brasil pela primeira vez, Marnie Dobson, PhD (EUA), professora do Centro para Saúde Ocupacional e Ambiental da Universidade da Califórnia, em Irvine, e diretora associada do Centro de Epidemiologia Social. Marnie é também codiretora executiva da Healthy Work Campaign (Campanha Trabalho Saudável) e do projeto do documentário Working on Empty (Trabalhando no Vazio), que aumenta a conscientização sobre a qualidade do trabalho, stress ocupacional e saúde. 

 Nesta edição do congresso, buscando expandir suas fronteiras da área da saúde e comportamento, apresentará a perspectiva do judiciário, abordando assuntos relacionados à saúde e ao trabalho.

Os temas selecionados para o congresso de 2019 atendem a uma demanda atual que envolverá experiências empresariais e pesquisas na área. A ISMA-BR procura cumprir o seu papel de informar, alertar e servir como um fórum de discussões para tornar o dia a dia mais produtivo, transformando-o em um estágio da busca de excelência e da manutenção da saúde. Da teoria à prática, o caminho é longo. Mas as mudanças começam no aprendizado diário do viver melhor. Acreditamos que congregando esforços poderemos ser mais felizes.

 

Maiores informações

>> CLIQUE AQUI 1 <<

>> CLIQUE AQUI 2 <<

Mestre em Biociências e Saúde, Ana Paula Pereira, teve o resumo, "FATORES ERGONÔMICOS COGNITIVOS NO PROCESSO DE TRABALHO DE ENFERMEIROS DE UMA INSTITUIÇÃO HOSPITALAR" aprovado pela Comissão Científica. para apresentação como trabalho oral na categoria ISMA BR Acadêmica. (ISMA-BR - International Stress Management Association no Brasil). O resumo foi embasado na dissertação de mestrado, com defesa realizada em novembro de 2016. 

Congresso 2019
Viver melhor: trabalho, stress e saúde

O evento que faz a diferença no seu desempenho    

 
As frequentes pressões e demandas vividas na rotina diária geram um nível de stress intenso e constante que afeta um número cada vez maior de profissionais no Brasil, desencadeando males crônicos como depressão, doenças cardiovasculares e exaustão física e mental. Por outro lado, as empresas buscam funcionários altamente produtivos, mas equilibrados que só assim serão capazes de apresentar o melhor dos seus talentos e habilidades. Portanto, aliar qualidade de vida a alto desempenho é o grande desafio a ser enfrentado.
 
Há solução? Este será um dos principais focos do 19º Congresso de Stress da ISMA-BR, 21º Fórum Internacional de Qualidade de Vida no Trabalho, 11º Encontro Nacional de Qualidade de Vida na Segurança Pública e 11º Encontro Nacional de Qualidade de Vida no Serviço Público.
 
Para falar sobre o assunto, entre outros reconhecidos profissionais, a ISMA-BR trará ao Brasil pela primeira vez, Marnie Dobson, PhD (EUA), professora do Centro para Saúde Ocupacional e Ambiental da Universidade da Califórnia, em Irvine, e diretora associada do Centro de Epidemiologia Social. É codiretora executiva da Healthy Work Campaign (Campanha Trabalho Saudável) e do projeto do documentário Working on Empty (Trabalhando no Vazio), que aumenta a conscientização sobre a qualidade do trabalho, stress ocupacional e saúde.  
 
Dando continuidade à iniciativa da ISMA-BR de expandir suas fronteiras da área da saúde e comportamento, esta edição do congresso apresentará a perspectiva do judiciário, abordando assuntos relacionados à saúde e ao trabalho.
 
Os temas selecionados para o congresso de 2019 atendem a uma demanda atual que envolverá experiências empresariais e pesquisas na área. A ISMA-BR procura cumprir o seu papel de informar, alertar e servir como um fórum de discussões para tornar o dia a dia mais produtivo, transformando-o em um estágio da busca de excelência e da manutenção da saúde. Da teoria à prática, o caminho é longo. Mas as mudanças começam no aprendizado diário do viver melhor. Acreditamos que congregando esforços poderemos ser mais felizes.
 

Maiores informações do evento clique AQUI

 

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO (MPT) e parceiros, ENTRE ELES O MESTRADO EM BIOCIÊNCIAS E SAÚDE, mobilizam sociedade para prevenir  acidentes e promover a  saúde do trabalhador.

                                     
 

 

Atitude de pacientes com câncer quanto à revelação de seu diagnóstico

Mestre Miguel Henrique Freiberger, Prof. Dr. Elcio Luiz Bonamigo

 

O Mundo da Saúde, junho de 2018, Centro Universitário São Camilo - São Paulo

DOI: 10.15343 / 0104-7809.20184202393414

Atitude de pacientes com câncer quanto ao diagnóstico

Sobre o que é isso?

É possível que pacientes com câncer não estejam recebendo informações sobre seu diagnóstico oncológico e, nesse contexto, o presente estudo teve como objetivo descrever a atitude de pacientes com câncer quanto à revelação de seu diagnóstico pelos médicos assistentes.

Por que isso é importante?

Algumas falhas apontam para a necessidade de enfatizar o ensino de como se comunicar de más notícias durante a faculdade de medicina, pós-graduação e educação continuada.

Perspectivas

EB

Dr. Elcio Luiz Bonamigo (Autor)

Universidade do Oeste de Santa Catarina

Não é suficiente ser empático para que as notícias indesejadas sejam recebidas sem trauma. É igualmente relevante que, por meio de metodologias apropriadas, por se tratar de um exercício praticável, os médicos aprimorem suas técnicas de comunicação para que sua conduta, além de evitar danos, proporcione maior benefício ao paciente.

MAIORES INFORMAÇÕES  CLIQUE AQUI

O discente do Programa Stricto Sensu Mestrado em Biociências e Saúde, o médico Márcio Mezzomo, participou em março do corrente ano do maior evento da ortopedia mundial, em Las Vegas, nos Estados Unidos, ocasião em que foi submetido aos critérios de aceite da AAOS, cumprindo todos os pré-requisitos.
Ao final, se tornou membro oficial da AAOS – principal Instituição acadêmica e cientifica na área da ortopedia do mundo.
O mestrando Marcio Mezzomo - Cirurgiao do Joelho é membro da equipe que integra o MOT - Marau, Ortopedia e Traumatologia, é Cirurgião do Joelho formado pela Universidade de Passo Fundo, com especialização em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital São Vicente de Passo Fundo e Cirurgia do Joelho pelo Hospital Ortopédico, é professor de Medicina da UPF, e da Pós Graduação em Ortopedia e Traumatologia da UPF, Preceptor de Ortopedia e Traumatologia e da Cirurgia do Joelho da Universidade Federal da Fronteira Sul.

O Dia Mundial de Combate ao Câncer, lembrado em 8 de abril, foi criado pela União Internacional de Controle do Câncer (UICC) para marcar o combate à doença. A data serve para conscientizar a população mundial sobre os cuidados de prevenção da 2ª doença que mais mata pessoas em todo o mundo.

De acordo com a oncologista do Hospital Universitário Santa Terezinha, Shaline Ferla, o câncer pode acontecer por uma combinação de diversos fatores externos e internos, como o sedentarismo, má alimentação, fatores familiares, tabagismo e etilismo. Nas mulheres os casos mais comuns da doença são câncer de mama, intestino e pulmão, já nos homens, próstata, pulmão e intestino.

Ainda segundo Shaline, após o diagnóstico é preciso avaliar todos os aspectos do paciente, realizando exames complementares como tomografias, biopsias etc. e a partir daí se opta pelo tratamento mais adequado, que pode variar entre cirurgia, quimioterapia e rádio, mas geralmente é uma combinação dos três. Cada tipo de tumor tem um tipo específico de tratamento.

Prevenir ainda é o melhor remédio, e isso pode ser feito com atitudes simples como a mudança de hábitos, incluindo no dia-dia uma alimentação saudável, atividade física e cessando o tabagismo e etilismo, além disso o diagnóstico precoce é outro meio de combater a doença.

— O diagnóstico precoce é a melhor forma de curar a doença, é importante que qualquer alteração que atípica que a pessoa observe em seu corpo, como lesões na pele, nódulo na mama, tosse, gripe que não melhora, seja motivo para procurar ajuda médica. O diagnóstico precoce pode evitar possíveis complicações futuras— explica a oncologista.

No HUST o atendimento médio por dia é de 130 pacientes, em uma estrutura que conta com especialidade de oncologia clínica, oncologia cirúrgica, urologia, mastologia, cirurgia de cabeça e pescoço e trato digestivo.

— O dia mundial de combate ao câncer é fundamental para conscientizar as pessoas sobre a importância do diagnóstico precoce e que quando a doença é descoberta no início, as chances de cura são maiores — ressalta a médica.

Fonte: Adriano França/Assessoria de Imprensa Unoesc/Site Caco da Rosa.

 

Maiores informações clique  AQUI

As Conferências de Saúde, constituem, espaços importantes de participação política da população em defesa da saúde pública. No dia 28 de março de 2019 a  profa. Dra. Sirlei Favero Cetolin, participou como palestrante na 6ª Conferência Municipal da Saúde do município de Belmonte/SC., cujo tema principal foi o “Democracia e Saúde” e, Contemplando os Eixos temáticos: Saúde como direito; Consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e; Financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

As Conferências de Saúde, constituem, espaços importantes de participação política da população em defesa da saúde pública. No dia 29 de março de 2019 a profa. Dra. Sirlei Favero Cetolin e o discente do Programa de Mestrado Biociências e Saúde Jorge F. Soares estiveram presentes na 7ª Conferencia Municipal da Saúde do município de Itapiranga/SC., como participantes.

A Docente do Mestrado em Biociências e Saúde, Dra. Vilma Beltrame, as egressas Janaína Maróstica e Márcia Terezinha da Rocha Restelatto, estiveram presentes na  5ª Conferência Municipal de Saúde. A profa. Dra. Vilma Beltrame, participou na ocasião, como coordenadora do grupo de trabalho do EIXO 2. A atividade aconteceu no dia 20/03/2019 no município de Joaçaba/SC.

Programação:

A Docente do Mestrado em Biociências e Saúde, Dra. Vilma Beltrame esteve presente na Conferência Municipal do idoso de 2019, participou na ocasião, da mesa redonda de abertura. A atividade aconteceu no dia 13/03/2019 no município de Concórdia/SC.

Programação Conferência Municipal do Idoso de 2019

Tema: Os Desafios de Envelhecer no Século XXI e o papel das políticas públicas.

13/03/2019 – Casa da Cultura

 

Manhã

 

7h30 às 8h00

Credenciamento

8h00

 

Solenidade de Abertura

8h30 às 9h30

Primeira mesa redonda. Integrantes da mesa:

Vilma – Dra em Enfermagem – Os desafios do envelhecimento

Simone Dalbello – Mestranda do Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas – O significado de ser velho na contemporaneidade

Débora Ruviaro – Mestre em Serviço Social – O direito fundamental e as políticas públicas

9h30 às 9h45

 

Debate

9h45

 

Intervalo

10h15 às 11h15

 

Segunda mesa redonda. As novas demandas do envelhecimento?

Elaine Ampese – Assistente Social do CREAS – A violência contra o idoso: A realidade de Concórdia

Daniela Oliva – Mestre em envelhecimento humano – O contexto educacional envolvendo o idoso (UNATI) e a questão da inclusão

Elisete Maria Pedotti – Coordenadora do Recanto do Idoso – As instituições de Longa Permanência - ILPI

11h15 às 11h30

 

Debate

11h30

 

Intervalo Almoço

 

Tarde

13h00 às 13h30

 

Retrospectiva Última Conferência

13h30

 

Divisão dos eixos temáticos.

Eixo 1. Direitos Fundamentais na Construção/Efetivação das Políticas Públicas.

Subeixos: Saúde,

Assistência Social, Previdência, Moradia, Transporte, Cultura, Esporte e Lazer.

Coordenadoras: Débora Ruviaro

 

Eixo 2. Educação: assegurando direitos e emancipação humana.

Coordenadoras: Simone Dalbello de Daniela Oliva

 

Eixo 3. Enfrentamento da Violação dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa.

Coordenadoras: Elaine Ampese e Daniela Stringhini

 

Eixo 4.  Os Conselhos de Direitos: seu papel na efetivação do controle social na geração e implementação das políticas públicas.

13h45 às 15h00

 

Discussão dos eixos temáticos e levantamento de cinco propostas por eixo

15h00 às 15h20

 

Intervalo

15h20 às 16h00

 

Plenária para aprovação das propostas

16h00 às 16h30

 

Escolha dos delegados para a Conferência Estadual do Idoso

 

AULA MAGNA DO MESTRADO DE BIOCIÊNCIAS E SAÚDE ABORDA:

"DESAFIOS TECNOLÓGICOS, OPORTUNIDADES E INOVAÇÃO".

Com o objetivo de trazer um panorama das inovações tecnológicas e a forma como estão influenciando a área da saúde no contexto da chamada “indústria 4.0”, esteve presente na Unoesc Joaçaba, na noite de 15 de março a professora Graciele Tonial, que falou para a turma alunos do Mestrado de Biociências e Saúde 2019, e também para professores do Programa de Pós-Graduação e alunos dos cursos de graduação em Medicina, Enfermagem, Fisioterapia e Educação Física. 

 O tema tratado leva em consideração o crescimento exponencial da produção de conhecimento científico moderno e as rápidas e revolucionárias transformações que estão ocorrendo na área tecnológica  em saúde, que tem usado cada vez mais de softwares para gestão, melhoria de processos e serviços e desafiam os profissionais a se adaptarem tanto à realização de pesquisas como, na forma de tratar os pacientes.

 — As mudanças que estão acontecendo despertam para uma nova perspectiva de análise do cenário econômico, de inovação e do comportamento de consumo. A área da saúde é formada por diversas organizações e todas as profissões relacionadas trabalham com a área de gestão, seja gestão hospitalar, de clínicas ou afins. Essa gestão precisa estar adaptada, embasada em inovação para que possam satisfazer às necessidades — afirmou a professora Graciele.

O Programa de Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc é recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e essa é a sua sexta turma. O Programa se propõe a desenvolver nos alunos competências como a capacidade de analisar criticamente a literatura cientifica da área, realizar investigação científica de caráter translacional entre as Biociências e a Saúde e propor metodologias inovadoras de pesquisa científica que assumam como objeto de investigação fenômenos que se colocam entre fronteiras disciplinares do conhecimento, por meio do modelo de abordagem interdisciplinar. 

— Temos vivido uma transição epidemiológica por conta do aumento da longevidade no Brasil , condição que tem feito surgir novas formas de doenças crônicas que antes não existiam porque as pessoas morriam cedo, e por essa razão os profissionais têm a necessidade de voltar para uma formação complementar que oportunize desenvolver competências voltadas para maior resolutividade nos serviços de saúde e para se atualizarem com as novas tecnologias   — ressaltou o coordenador do Mestrado, professor Jovani Antônio Steffani.

Entre as pesquisas já realizadas pelo programa destacam-se: uma na área da Bioética, que influenciou o Conselho Federal de Medicina (CFM) a estabelecer o direito quanto ao Testamento Vital no qual que o paciente expresse e registre suas vontades quanto ao se desejo de reanimação ou uso de aparelhos para prolongar a vida. E outra, envolvendo trabalhadores rurais com o objetivo de buscar por novos modelos de atenção à saúde dessa parcela da população, que dentre os demais trabalhadores, normalmente são os menos acolhidos ou privilegiados pelos processos de atenção em pesquisas e também em serviços de saúde.

Segundo pesquisas que estudam o mercado de trabalho, pessoas com Mestrado e Doutorado aumentam em até seis vezes a sua renda após a conclusão da formação. O modelo de atenção em saúde além de interdisciplinar, tem se inclinado para a interprofissionalidade, por essa razão, a aula magna do Programa de Mestrado incluiu o convite aos diferentes cursos de graduação, envolvendo alunos de graduação e de pós-graduação no mesmo ambiente. Diferencial esse, que só uma universidade de verdade pode oferecer aos seus alunos.

 

DISCENTES CONQUISTAM O 1º LUGAR - PRÊMIO JALECO DA BRANCO STORE 

A docente do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu Mestrado em Biociências e Saúde, Dra. Francine Carla Cadoná, o ex-docente do programa Dr. Marco Aurélio Echart Montano e os discentes do curso, Lucas Felipe Gomes e Pamela Jessyca Hoss Longhi participaram do II Simpósio em Saúde e Alimentação. O evento aconteceu nos dias 23 a 24 de agosto de 2018 na Universidade Federal da Fronteira Sul (Campus Chapecó). 


Na oportunidade foi apresentado um trabalho com título: EFEITO ANTITUMORAL E NA ATIVIDADE QUIMIOTERÁPICA IN VITRO DO CAPIM-CIDREIRA (Cymbopogon citratus) EM LINHAGEM DE CÂNCER DE PRÓSTATA (DU-145), que rendeu o prêmio Jaleco da Branco store, 1º lugar, sendo o melhor trabalhado submetido ao evento.

 

Autores: 
Lucas Felipe Gomes

Larissa Machado

Pâmela Jessyca Hoss Longhi

Marco Aurélio Echart Montano

Mathias Martins

Ivana Beatrice Mânica da Cruz

Francine Carla Cadoná

I ENCONTRO DE SAÚDE MENTAL
II SEMINÁRIO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO HUST
III SIMPÓSIO EM BIOCIÊNCIAS, SAÚDE, EDUCAÇÃO E SOCIEDADE

OBJETIVOS

Os cursos da área da saúde têm no seu horizonte de implantação muitas atividades inovadoras, sempre com o objetivo de proporcionar a maior qualificação possível do produto a ser formado. Tendo em vista que as atividades de complementação oferecidas aos alunos vêm ao encontro desta assertiva, várias são as oportunidades para que tais objetivos sejam alcançados.

PÚBLICO-ALVO

Acadêmicos e Professores dos cursos de Medicina, Psicologia, Mestrado em Biociências e Saúde, Residentes Médicos, Acadêmicos e Profissionais da Área da Saúde.

INSCRIÇÕES

O registro de presença será realizado na hora do evento.

SUBMISSÕES DE TRABALHOS

Clique aqui

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Clique aqui

 

 

Imagine uma disciplina, cujos os professores são da Alemanha, Itália, Estados Unidos, Chile, Argentina e Venezuela. E que durante as aulas será possível conhecer pesquisas de ponta e, ao mesmo tempo, aprimorar a comunicação científica em língua estrangeira. A ideia é do Mestrado em Biociências e Saúde, da Unoesc Joaçaba, que planejou a realização de nove aulas, com nove pesquisadores internacionais.

Quem está à frente do projeto é o professor Antuani Rafael Baptistella, responsável pela disciplina “Tópicos Especiais”. O primeiro encontro ocorreu nos dias 19 e 20 de julho. As demais aulas serão realizadas em 9 e 10 de agosto, e também nos dias 20 e 21 de setembro. São três aulas em cada uma dessas semanas, tendo a participação de 31 alunos. Os temas abordados, apesar de diversos, têm em comum a área do envelhecimento humano e das doenças crônicas não transmissíveis.

Os alunos já participaram da aula com a doutora Estefânia Prentki Santos, que fez contato diretamente da Alemanha, por webconferência, e abordou a temática The mechanisms involved in blood pressure regulation (Os mecanismos envolvidos na regulação da pressão arterial). O doutor Frederico Omar Gleber Netto, de Houston, no Texas (EUA), esteve na Unoesc para ministrar a aula sobre biomarcadores salivares no câncer. Essa foi a única aula presencial, as demais serão por webconferência. A terceira aula da semana foi na sexta-feira, à noite, com o doutor Guilherme Bresciani, que diretamente da Flórida (EUA), falou sobre Ejercicio físico, inflamacion y estrés oxidativo (Exercício físico, inflamação e estresse oxidativo).

O professor Antuani Rafael Baptistella explica que essa é a primeira vez que o mestrado realiza esse formato de aula. Para ele, a logística do processo é um grande desafio. Organizar datas e horários não é uma tarefa fácil, cada pesquisador tem sua limitação de tempo. São diferentes culturas, línguas e fusos horários. A aula com a professora Estefânia, por exemplo, terminou às 2h30 da manhã, hora local da Alemanha.

— O outro desafio é ter uma aula atraente e agradável, sem a presença física do professor, depende-se muito da atenção dos alunos. Mas tem sido bastante positivo, eles estão apoiando o projeto e a ideia é poder repetir nos próximos anos — ressalta Baptistella.

Esse formato de aula também cumpre dois objetivos do mestrado. O primeiro é a internacionalização, promovendo aulas com professores estrangeiros e tendo contato com pesquisas de ponta. O segundo é a possibilidade de praticar e otimizar a comunicação em língua estrangeira, uma vez que serão sete aulas em inglês e duas em espanhol.

— Os nossos alunos começam a entender como se faz pesquisa fora do Brasil, como são elaborados os projetos e as soluções de problemas. Esse contato com o conhecimento técnico de uma área específica é o grande diferencial desses encontros — afirma.

O professor destaca também que a montagem do cronograma e o convite aos pesquisadores estrangeiros contou com a ajuda de todo o colegiado do Mestrado em Biociências e Saúde, além do apoio da coordenação e do setor de Tecnologia da Informação para a organização da logística das aulas.

EQUIPAMENTO MULTIDETECTOR DE PLACAS TRAZ MAIS QUALIDADE PARA AS PESQUISAS DESENVOLVIDAS NA UNOESC

 

Um projeto para captação de recursos submetido pelo Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc Joaçaba e aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) possibilitou a compra de um Multidetector de placas que será de grande auxílio nas aulas e principalmente na qualidade das pesquisas realizadas na Unoesc.

O equipamento que foi importado dos Estados Unidos, faz a leitura de três metodologias utilizadas em pesquisas: reações colorimétricas, reações de fluorescência e de luminescência das amostras analisadas, isso tudo com grande precisão e rapidez, uma vez que consegue ler até 96 amostras ao mesmo tempo.

—  Esse equipamento tem várias funções permitindo diversas avaliações nas áreas farmacológicas, toxicológicas e bioquímicas. Tínhamos um aparelho sem tantos recursos acoplados, que não permitia alguns tipos de análise e lia uma quantidade bem menor de amostras— comentou a professora do Mestrado de Biociências e Saúde, Aline Pertile Remor.

A utilização do novo equipamento permitirá que os pesquisadores da Unoesc avancem em suas pesquisas podendo obter resultados muito melhores.  O aparelho pode, por exemplo, avaliar de forma precisa desde os parâmetros que envolvem a quantidade de dano e morte de células como também testar compostos com propriedades capazes de protegê-las.

— No mestrado, temos três linhas de pesquisa: Fatores biológicos no processo saúde-doença, Diagnóstico e Intervenção na saúde e Promoção e Gestão em Saúde.  A linha 1 ou Fatores biológicos no processo saúde-doença, é bastante experimental, com pesquisas em laboratório e se queremos fazer pesquisa de qualidade precisamos ter equipamentos bons e confiáveis quanto aos resultados obtidos — explicou o professor Diego de Carvalho.

Ainda de acordo com os professores, o uso não se restringirá apenas ao Mestrado, beneficiando as pesquisas de alunos e professores de graduações da área da saúde e outras áreas envolvidas com pesquisas afins.

SALA DE CULTURA CELULAR

Além do multidetector o projeto de captação de recursos possibilitou que a sala de cultura celular da Unoesc terminasse de ser equipada. Nessa sala, os experimentos envolvem células in vitro o que contribui para o uso de uma quantidade muito pequena ou nenhuma de animais nos testes, dependendo o caso.

— Há uma discussão ética que defende a não utilização ou que seja diminuído ao máximo o uso animais em experimentos e tendo uma sala de cultura celular totalmente equipada conseguimos fazer isso. Aliás, tem pesquisas por meio das técnicas de cultura celular que conseguimos resultados muito mais rápidos e precisos, quando comparado com pesquisas envolvendo animais in vivo —  concluiu o professor Diego.

MESTRANDA PARTICIPA DE CONGRESSOS NA ESPANHA FORTALECENDO A INTERNACIONALIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

O Programa de Mestrado em Biociências e Saúde tem contribuído com a participação da Unoesc no cenário internacional. Na semana que passou, a mestranda desse Programa de Pós-graduação Stricto Sensu, Mariane Carolina de Almeida, esteve presente em três eventos internacionais, na cidade de Múrcia Espanha.

Mariane participou do “I Congreso Internacional Humanización en Urgencias, Emergencias y Catástrofes”, onde realizou a exposição de três comunicações científicas em formato de pôster. No “VI Congreso Internacional de Bioderecho” realizou defesa oral de comunicação científica. Ainda participou como ouvinte da “V Jornadas para Jóvenes Investigadoras/es Profundizando en la Salud de las Mujeres”.

— Dentro de um regime da economia global do conhecimento, os países são instados a melhorar o desempenho dos estudantes em ciência e tecnologia. A mobilidade internacional é a estratégia mais disseminada entre as instituições de ensino superior no mundo, o que têm aplicado cada vez mais recursos financeiros em programas de estudos no exterior e recrutamento de estudantes internacionais — analisa o coordenador do Programa de Mestrado em Biociência e Saúde da Unoesc, Jovani Steffani

As estratégias centradas no estudante respondem à ideia amplamente aceita de que estudantes bem-sucedidos devem ter a habilidade de pensar crítica e criativamente para resolver problemas complexos, assim como demonstrar disposição e habilidades para interagir globalmente.

Para o coordenador, o alinhamento da Unoesc com as perspectivas globalizadas relacionadas às questões de ensino, pesquisa e inovação são um grande diferencial de qualidade que permite a produção do conhecimento e não somente a simples reprodução.

— Essa condição de produção do conhecimento por meio da pesquisa e da pós-graduação é, certamente, um dos quesitos mais importantes que diferenciam uma Universidade de Centros Universitários e de Faculdades (essas duas últimas meras reprodutoras de conhecimentos já existentes). Essa é uma das vantagens que os estudantes devem levar em consideração no momento da escolha da instituição de ensino na qual pretendem fazer a sua formação superior — completa o coordenador.

Influenza: a vacinação deve ser compulsória para profissionais da saúde?

Roxana Tabakman
16 de abril de 2018


A vacinação compulsória anual dos profissionais da saúde contra a gripe deve ser defendida no Brasil como um imperativo ético e moral. Quem defende a ideia[1] é o especialista em doenças infecciosas e parasitárias e em bioética médica Dr.Bruno Rodolfo Schlemper Júnior. Segundo ele, a ética médica coloca em primeiro lugar o interesse dos pacientes (beneficência), não lhes causar dano (não maleficência) e proteger os vulneráveis (justiça). Finalmente, em tempos de movimentos anti-vacinas, o médico teria o dever moral de atuar como exemplo para o público.
A recomendação de incluir a profissionais da saúde na recomendação da vacina contra influenza não obedece apenas a exposição ocupacional, mas, fundamentalmente objetiva de evitar a disseminação de infecções para pacientes suscetíveis.
Nos Estados Unidos, mais de 200 instituições de saúde tornaram a vacinação obrigatória, e os legisladores estaduais estão começando a promulgar leis que exigem a vacinação de trabalhadores da saúde respaldados pela Suprema Corte, que deu aos estados o poder de impor a obrigatoriedade[2].


Recomendação de vacinação, como se faz no Brasil, pode ser uma estratégia insuficiente, aponta o médico. Não há dados da cobertura da vacina da influenza nos profissionais da saúde do país. Na Europa, por exemplo, após três décadas de recomendações oficiais contra a influenza, as taxas de vacinação permaneceram abaixo de 30%[3].
Um relatório divulgado pelos Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos em setembro de 2017[4] informa os resultados da pesquisa do pessoal de saúde realizada na internet com quase 2500 respostas voluntárias recrutadas pelo Medscape e a SSI (Survey Sampling International). A porcentagem dos que responderam ter recebido a vacina contra o Influenza na campanha de 2016-2017 foi de 78,6%. O que torna mais interessante este trabalho, no entanto, é que, como nas campanhas anteriores, a cobertura foi quase o dobro entre aqueles para os quais a vacina era uma condição imposta pelo empregador (96,7%) quando comparada com a dos que trabalhavam em centros onde a vacinação não era uma condição, nem era promovida ou oferecida no local (45,8%).


Neste relevamento, os voluntários que trabalhavam em hospital tinham uma adesão maior (69,5%) do que a dos que trabalhavam no cuidado ambulatório (39%) e em instituições de longa permanência (26,2%). Entre aqueles que não tinham exigência, a cobertura foi maior entre os que tinham acesso gratuito à imunização por mais de um dia no local de trabalho (80,3%), e superior à dos que tinham acesso por apenas um dia (73,8%), e a daqueles que não tinham acesso no local do trabalho, mas tiveram o acesso promovido pelo empregador (70,4%). Menos da metade (45,8%) dos que responderam a pesquisa tinha recebido a vacina quando o aceso não era promovido de maneira nenhuma.
"O Hospital Moriah oferece a vacinação gratuitamente a todos os funcionários. Para o corpo clínico aberto, cujo médico não é funcionário do Hospital, ela é oferecida com desconto especial. A média de efetivação da vacina é de 90% dos colaboradores"– informa a assessoria de imprensa de um dos mais novos hospitais de São Paulo.


Sem impedimentos


"Se não houver impedimento, a vacina deveria ser obrigatória para o bem da saúde coletiva", diz ao Medscape o infectologista Dr. Caio Rosenthal, conselheiro do Cremesp, em entrevista por telefone.


Ele destaca que o órgão não tem um resolução especial sobre o tema, mas que "se a vacinação contra influenza for exigida, e o médico se recusar, a autonomia deve ser respeitada. Porém, pensando na saúde coletiva, o médico que se recusar a receber a vacina deve ser chamado para uma conversa e apresentar justificativas para isso. Se não tiverem fundamento, ele pode não ser aceito para trabalhar."


Como está incluída no programa nacional de vacinação, a dose contra a gripe é oferecida gratuitamente nas unidades básicas de saúde. Portanto, diz o Dr. Rosenthal, no Brasil o impedimento nunca é econômico.


"Se o hospital é privado e não oferece a vacina sem custo, deve permitir que o funcionário falte ao trabalho para ir tomar a vacina", diz o conelheiro do Cremesp.


A adesão dos profissionais de saúde brasileiros às campanhas anuais de vacinação tem variado, disse ao Medscape o Dr. Expedito José de Albuquerque Luna, docente do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo e autor de um trabalho sobre políticas de vacinação contra influenza no Brasil[5]. Nos anos em que houve maior divulgação, como na vacinação contra a gripe pandêmica em 2010, a cobertura vacinal ficou acima de 100%, mas nos anos "normais" menos de 50% se vacinam.


"Entendo que a vacinação de profissionais de saúde contra a influenza deveria ser obrigatória por uma razão simples: eles constituem um dos grupos populacionais mais expostos à infecção por vírus respiratórios durante suas atividades profissionais. E além de estarem em maior risco, podem atuar também como disseminadores das infecções, durante o período de incubação, ou mesmo já com sintomas, transmitindo-as a outros pacientes", diz o Dr. Albuquerque Luna.

Responsabilidade de quem?


Há quem considera ser dever da instituição proporcionar a vacinação aos profissionais de saúde que nela atuam, como cuidado básico do paciente[6] e pela alta mortalidade que um surto de influenza pode causar no hospital, especialmente em grupos de risco e indivíduos mais suscetíveis.


Um estudo já destacou[7] que, mesmo sendo a influenza adquirida no hospital algo pouco prevalente, quando ela acontece, é muito difícil determinar a origem e controlá-la.


"Oferecer a vacina é responsabilidade institucional, e aceitar a vacina é responsabilidade individual", diz o professor Schlemper Júnior, hoje professor de Bioética na Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc) e membro do corpo editorial da Revista da Sociedade Brasileira de Bioética.


Entre a noção de responsabilidade individual e a obrigatoriedade, com ameaça da perda do emprego[8], há posições intermediárias, diz o especialista, como programas educacionais que possibilitem aos profissionais de saúde identificar melhor os riscos e os benefícios individuais e coletivos.


Os Drs. Bruno Schlemper Júnior e Caio Rosenthal declaram não possuir conflitos de interesses relevantes.

Referências
1. Schlemper Junior, B. Vacinação obrigatória dos profissionais da saúde contra a influenza no Brasil SBMT 7 de março de 2018. Disponível em: http://www.sbmt.org.br/portal/vacinacao-obrigatoria-dos-profissionais-da-saudecontra-influenza-no-brasil/


2. The Ethical Duty of Physicians to Strengthen their Own Immunization and Childhood Vaccination Bruno R.Schlemper Junior, Vilma Beltrame, Fernando Hellmann . In: Morales-González JA, Nájera EA. Bioethics.InTechOpen, 2018 (no prelo). ISBN: 978-953-51-6051-


3. Wicker, Marckmann. Vaccination of health care workers against influenza: is it time to think about a mandatory policy in Europe? Vaccine 10 Oct 2013, 32(38):4844-4848]


4. Black CL, Yue X, et al. Influenza Vaccination Coverage Among Health Care Personnel — United States, 2016–17 Influenza Season. MMWR Morb Mortal Wkly Rep 2017;66:1009–1015. MMWR / September 29, 2017 / Vol. 66 / No. 38 US Department of Health and Human Services/Centers for Disease Control and Prevention. Disponível em: https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/66/wr/mm6638a1.htm


5. Albuquerque Luna E.J. et al. The Brazilian influenza vaccination policy: a systematic review Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 23(3):559-575, jul-set 2014. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/ress/v23n3/1679-4974-ress-23-03-00559.pdf


6. Cortes-Penfield, N. Mandatory Influenza Vaccination for Health Care Workers as the New Standard of Care: A Matter of Patient Safety and Nonmaleficent Practice American Journal of Public Health | November 2014, Vol 104, No. 11


7. Crislip, M Influenza Vaccine and Health Care Workers. More than one way to skin a literature. Infectious Diseases, 09:56PM Mar 6, 2017. Disponível em: http://boards.medscape.com/forums/?128@@.2a814ce3!comment=1


8. Caplan, A.L Why Hospital Workers Should Be Forced to Get Flu Shots September 13, 2012. Disponível em: https://www.medscape.com/viewarticle/770383


Citar este artigo: Influenza: a vacinação deve ser compulsória para profissionais da saúde? - Medscape - 16 de abril de  2018.
This website uses cookies to deliver its services as described in our Cookie Policy. By using this website, you agree to the use of 

Obligatory vaccination against influenza for Brazilian health professionals"

 

>> ACESSE  AQUI <<

VII Seminário de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

 

Atualmente, em torno de cinco mil mortes por dia (3,5 mortes por minuto) ocorrem no mundo provocadas por acidentes e doenças do trabalho. No Brasil são 23,28 mortes por dia. Tendo em vista estes números o Conselho Municipal de Saúde de Joaçaba criou no ano de 2010 a Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (CISTT), com o objetivo de assessorar o Conselho nesse assunto e propor alternativas para minimizar esses dados na nossa cidade.

Uma das estratégias iniciais da CISTT foi a realização de um seminário para discussão do tema. O seminário se mostrou uma ferramenta eficaz no sentido de trazer à tona a discussão acerca do grande número de acidentes e doenças ocupacionais com toda a sociedade. Permite também estimular a discussão sobre o papel e responsabilidades do poder público, dos trabalhadores e das empresas nesse contexto e sobre as políticas públicas necessárias para diminuir os índices registrados hoje. Além disso, permite disseminar a idéia junto aos trabalhadores de que sua saúde deve estar em primeiro lugar e ser preservada independente da natureza do seu trabalho.

Além dos parceiros tradicionais como sindicatos de trabalhadores e entidades patronais, o trabalho da CISTT também conta com o apoio da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde do Trabalhador da Assembléia Legislativa de Santa Catarina, que vem fomentando o debate nesta área por todo o estado. Somente numa ação conjunta, somando esforços das empresas, trabalhadores e poder público, poderemos almejar um resultado positivo no sentido de minimizar este problema na nossa região. Junte-se a esta causa que é para o benefício de todos.

Sejam todos bem vindos ao VII Seminário de Saúde do Trabalhador de Joaçaba/SC.

Data: 26/04/2018
Local: Auditório Afonso Dresch - UNOESC
Início: 19:00hs

Programação:

>> CLIQUE AQUI <<

 

Concurso Fotográfico:

>> CLIQUE AQUI <<

V CONGRESSO CATARINENSE DE SAÚDE APOSTA NA INTERDISCIPLINARIDADE

PARA TRATAR DO TEMA ONCOLOGIA

Organizado por uma comissão multidisciplinar envolvendo os cursos de Enfermagem, Fisioterapia e Medicina, além do Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc Joaçaba, o tema "Interdisciplinaridade em Oncologia" foi amplamente discutido nos dias 23 e 24 de março, no 5º Congresso Catarinense de Saúde. O evento foi realizado no Teatro Alfredo Sigwalt e contou com exposição de trabalhos científicos, debates e palestras com profissionais de renome nacional e internacional, como foi o caso do professor Toshiro Aigaki da Tokyo Metropolitan University, do Japão, e da Doutora Vilma Martins, pesquisadora do AC Camargo Câncer Center, de São Paulo.

Marcaram presença ainda, o Cônsul Geral do Japão, para os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, Hajime Kimura, egressos da Unoesc, comunidade acadêmica e profissionais da saúde em geral.

A abertura oficial do evento foi realizada na noite de sexta-feira 23. Após uma apresentação da pianista Mariane Huf, que agraciou os presentes foram realizados os pronunciamentos da presidente  do congresso Professora Fabiana Meneghetti Dallacosta, do Cônsul Geral do Japão Hajime Kimura, do pró-reitor de Pesquisa Pós Graduação e Extensão professor Fábio Lazzarotti e do diretor do Hospital Universitário Santa Terezinha  (Hust) de Joaçaba, Alciomar Marin.

De acordo com a presidente do congresso, Professora Fabiana Meneghetti Dallacosta, o evento foi pensado contemplando temas diversos dentro da área de oncologia, congregando profissionais e acadêmicos com objetivo de disseminar conhecimento desta especialidade de forma a fomentar estudos e pesquisas.

— A Unoesc contribui para o desenvolvimento regional há 50 anos. Nosso o Hospital Universitário é referência em Santa Catarina no tratamento de pacientes com câncer. Atende  55 municípios e só em 2017 chegou a quase 10 mil atendimentos no Ambulatório de Oncologia e realizou 14 mil quimioterapias. É com muito orgulho que mesmo sendo uma cidade pequena do interior recebemos um evento como esse — destacou a  Professora Fabiana Meneghetti Dallacosta.

Após o protocolo, os presentes acompanharam a palestra “Pesquisa em Oncologia” ministrada pela professora Doutora Vilma Regina Martins que atua como Superintendente de Pesquisa chefe do Grupo de Biologia Celular e Molecular da A.C Camargo Câncer Center, de São Paulo. Ela apresentou dados sobre o câncer além das novidades relacionadas à pesquisas e tratamentos.

— A oncologia está passando por mudanças. Novas descobertas estão mudando conceitos e trazendo terapias que não existiam e vão impactar aqui 10 anos. Os acadêmicos, principalmente de Medicina, precisam estar preparados, pois é quando estarão em contato com seus pacientes — explicou a professora Vilma.

Fechando a noite subiu ao palco o professor Japonês, Toshiro Aigaki  da Tokyo Metropolitan University, que expôs os resultados da pesquisa “Desenvolvimento de Estudos Tumorais no Japão”.

— Além de mostrar o que já foi pesquisado, tive a oportunidade de conversar com outros pesquisadores  e visitar Unoesc  esse contato é importante para mostrar o que mais pode ser feito — comentou o professor Toshiro Aigaki.

 

 

VISANDO CONVÊNIO INTERNACIONAL, UNOESC RECEPCIONA REPRESENTANTES JAPONESES

Na sexta-feira, 23, a Unoesc Joaçaba recebeu a visita do professor Toshiro Aigaki da Tokyo Metropolitan University e sua esposa, além do Cônsul Geral do Japão, para os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, Hajime Kimura acompanhado da Consulesa Chie Kimura. A recepção aconteceu na sala de reuniões do bloco administrativo e foi importante para estreitar a relação internacional com o objetivo de manter convênio com a Tokyo Metropolitan University.

Marcaram presença no encontro, recepcionando os visitantes, o pró-reitor de Pesquisa Pós-Graduação e Extensão professor Fábio Lazzarotti, a secretária Executiva da Unoesc Cleunice Fátima Frozza, o diretor de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão Júlio Cesar Ribeiro Lira, a coordenadora do setor de Mobilidade Acadêmica da Universidade, professora Kaline Zeni, o diretor do Hospital Universitário Santa Terezinha (HUST) Alciomar Marin, o coordenador do Mestrado em Biociências e Saúde professor Jovani Antônio Stefanni, o professor do mesmo Mestrado e Secretário Geral da International Human Motrocity Network, Rudy Nodary Júnior, a professora Ivana Beatrice Mânica da Cruz da Universidade Federal de Santa Maria e os professores Glauber Wagner e Francine Cadoná.

Na oportunidade a coordenadora do setor de Mobilidade Acadêmica da Unoesc, Kaline Zeni, destacou a importância da transferência de conhecimento como grande locomotiva deste tipo de cooperação bilateral e neste caso, multilateral, porque contará com algumas universidades brasileiras agregadas a um plano de pesquisa conjunto.

Ainda segundo Kaline, o momento é marcante, já que, através da internacionalização os alunos e professores técnicos têm a oportunidade de realizarem seus estudos, pesquisas e formação continuada nas maiores e melhores universidades no exterior, conveniadas com a Unoesc.

Representando o Reitor Aristides Cimadon, o pró-reitor de Pesquisa Pós-Graduação  e Extensão professor Fábio Lazzarotti, afirmou estar honrado pela presença dos representantes japoneses e agradeceu aos representantes do Mestrado em Biociências e Saúde que se empenharam para que a visita fosse possível.  Também fizeram uso da palavra e ressaltaram a importância do encontro em suas falas, a professora Ivana Beatrice Mânica, o professor Alciomar Marin e o coordenador do Mestrado de Biociências e saúde, Jovani Antonio Steffani.

Sempre é uma satisfação poder desenvolver pesquisas em rede, principalmente porque o avanço do conhecimento depende das relações com diversas universidades e países e por isso, uma futura parceria com a Tokyo Metropolitan University deve trazer resultados positivos gerando conhecimento aplicado e contribuindo para o desenvolvimento de nossa região por meio do ensino e da pesquisa — afirmou o pró-reitor.

Selando o ato, foi assinada a carta de intenções para o convênio técnico científico com a Tokyo  Metropolitan University e agora devem ocorrer as demais tratativas para a efetivação da parceria. 

Acredito muito na cooperação internacional e pelo que pude conhecer da Unoesc até agora, uma parceria pode trazer bons resultados — afirmou o professor da Tokyo Metropolitan University, Toshiro Aigaki.

ENCONTRO EM XANXERÊ

No sábado dia 24, o Professor Toshiro Aigaki e sua esposa estiveram realizando visita na Unoesc Xanxerê. Na oportunidade ocorreu uma reunião com os dirigentes do campus, além da visita das instalações dos campi 1 e 2 da Universidade, também com o objetivo de estreitar o relacionamento com a Tokyo Metropolitan University, sendo que após convênio firmado, será possível pesquisas conjuntas, intercâmbio técnico-científico também entre docentes e alunos.

Estiveram presentes na recepção, o vice-reitor do campus, professor Genesio Téo, a diretora de Pesquisa, Pós-Graduação e extensão professora Marcieli Maccari, a coordenadora do Curso de Medicina Veterinária professora Silvana Giacomini Collet, o coordenador do Mestrado em Sanidade e Produção Animal Aplicadas a Pequenas Propriedades, professor Sergio Abreu Machado, a coordenadora local de Mobilidade Acadêmica professora Irene Sá Affolter, a Coordenadora de Mobilidade Acadêmica da Unoesc Joaçaba Kaline Zeni  e o professor Marco Aurelio Echart Montano, docente do campus e do Mestrados em Biociências e de Sanidade e Produção Animal Aplicadas a Pequenas Propriedades.

 

"CIÊNCIA E INOVAÇÃO FORAM TEMAS DA AULA MAGNA DO MESTRADO EM BIOCIÊNCIA E SAÚDE"

Ciência e inovação foram os temas centrais da aula magna do curso de Mestrado em Biociência e Saúde, promovida na noite de quinta-feira (08), no auditório Afonso Dresch, na Unoesc, em Joaçaba. As palestras foram acompanhadas pelos alunos de graduação dos cursos de enfermagem, medicina, psicologia, fisioterapia, ciências biológicas, odontologia, educação física e do curso técnico de enfermagem.

Os novos alunos receberam as boas vindas do Diretor de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão do campus, professor Júlio Lyra, além do coordenador do curso, professor Jovani Antonio Steffani e da Diretora da Agência de Inovação e Relações Institucionais – AGIR, professora Jéssica Romeiro Mota.

O professor Jovani lembra que nós usufruímos de produtos resultado da ciência e da tecnologia antes mesmo de nascermos. Dá exemplos como a ultrassonografia, a fotografia, o áudio que sai do microfone, a energia elétrica, o automóvel, a internet, a roupa e outros.

- Inovação e tecnologia na saúde são um caminho sem volta – alerta.

Antes da sua fala, a professora Jéssica mostrava um vídeo que retratava a inteligência artificial. Start ups, aplicativos, softwares, veículos autodirigíeis. De acordo com o audiovisual, muitos negócios vão se transformar e outros vão sumir. E questionava sobre as oportunidades que teremos no futuro.

A diretora da AGIR retratou a inovação e a tecnologia na área da saúde e começou alertando para a quarta Revolução Industrial, que é a fase da humanidade em que estamos vivendo.

- Temos que entender o momento que a gente vive e como a tecnologia vai impactar nas nossas vidas. Hoje a gente fala em direito ao esquecimento porque as redes sociais, a internet perpetua tudo o que nós registramos – alerta.

Jéssica relata casos de sucesso que nasceram na incubadora da Unoesc e faz os alunos e professores dos cursos da Área da Saúde presentes à aula refletirem sobre a importância da pesquisa, incentivando a todos a serem ousados e criativos, pensarem e proporem projetos para transformarem a vida de cada um e de todos.

Na sequência, o a Coord. Administrativa do Centro de Pesquisa em Microgravidade – MigroG, da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RS), professora Michele dos Santos Gomes da Rosa abordou o tema “Telemedicina e Telessaúde: avanços e desafios nos serviços de saúde”.

Michele explica como os alunos, na PUC, utilizam a tecnologia, com a ajuda de um professor, para inovar e transformar a inovação em teses, dissertações e negócios. As suas ideias, a seguir, são sempre patenteadas.

V CONGRESSO CATARINENSE DE SAÚDE: “INTERDISCIPLINARIDADE E ONCOLOGIA”

Presidente do Congresso:

Enf. Dra. Fabiana Meneghetti Dallacosta

Comissão organizadora:

Antuani Rafael Baptistella
Carina Rossoni
Fabiana Meneghetti Dallacosta
Gabriel Manfro
Mayara Chiamollera
Ruggero Caron

Comissão científica

Docentes do Programa de Mestrado em Biociências e Saúde:

Aline Pertile Remor
Antuani Baptistela
Bruno Schlemper Junior
Carina Rossoni
Claudriana Locatelli
Diego de Carvalho
Elcio Bonamigo
Fabiana Menegathi Dallacosta
Fernanda Maurer D`Agostini
Francine Carla Cadoná
Glauber Wagner
Jovani Antonio Steffani
Marco Aurélio Echart Montano
Rudy Nodari Junior
Sirlei Favero Cetolin          
Vilma Beltrame

LINK PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS

CLIQUE AQUI


PROGRAMAÇÃO

CLIQUE AQUI

 

INSCRIÇÃO

CLIQUE AQUI
 

ORGANIZADORES:

Aula Magna

O Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc Joaçaba está promovendo nesta sexta (08/03/2018), às 19h30, no auditório Afonso Dresch, sua segunda aula magna. O encontro terá como tema principal a "Inovação e Tecnologia na Área a da Saúde: um caminho sem volta".

A apresentação desta abordagem inovadora será feita pelas professoras Michele dos Santos Gomes da Rosa, MSs, PhD e Jéssica Romeiro Mota, MSc. Para participar não foi preciso efetuar inscrição. Toda a comunidade foi convidada e a entrada será gratuíta.

MESTRADO DA UNOESC VIABILIZA LIVRO DA COMISSÃO INTERSETORIAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR

 

Na noite de quarta-feira, 13 de dezembro, aconteceu no auditório do SESI em Joaçaba o lançamento do um livro impresso e do E-book “Trabalho Intersetorial que está dando certo”, que trata da importância da segurança no trabalho. A obra foi organizada pela Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora – CISTT, que conta com a participação de diversas entidades do município, entre elas a Unoesc, SUS, INSS, SESI, em conjunto com o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Joaçaba - SITICOM e outros sindicatos, Conselho Municipal de Saúde de Joaçaba e com o Programa Trabalho Seguro trabalho – TRT 12ª Região, do Tribunal Superior do Trabalho.

O livro, que visa disseminar a importância da promoção da saúde e segurança do trabalhador e trabalhadora foi elaborado por meio da conscientização realizada pela CISTT nas escolas de Joaçaba, Herval d’Oeste e Luzerna e conta com os desenhos e redações premiadas em um concurso com o tema “Trabalho Seguro”, cujo resultado foi divulgado no mês de setembro. Na categoria desenho participaram turmas do 3º ao 6º ano do ensino fundamental. E na categoria redação, turmas do 6º ano do ensino Fundamental ao 3º ano do ensino médio ano, além dos estudantes IFC, sendo escolhido o melhor desenho e a melhor redação de cada ano escolar participante.

A Unoesc foi parceira na produção do livro e do E-book auxiliando a comissão organizadora nas tratativas para elaboração do concurso, na avaliação das redações e desenhos, já que teve professores da casa compondo a comissão julgadora e, principalmente, na finalização da obra através do trabalho desenvolvido em sua Editora.

Para o lançamento foram convidados membros da CISTT, representantes das escolas participantes, alunos e seus familiares além da comunidade em geral. Marcaram presença em nome da Unoesc, o coordenador do Mestrado de Biociências em Saúde, professor Doutor Jovani Antônio Steffani e o diretor de Pós-Graduação e Extensão, professor Júlio Lyra. Participaram também a Dra. Lisiane Vieira Juíza do Trabalho e representante regional do projeto "Trabalho Seguro" e a Procuradora do Ministério Público Federal, Dra. Ana Haag

—  A Unoesc, ao fazer parte da CISTT e colaborar com a elaboração desse livro, visa contribuir com a sociedade cumprindo sua missão de formar pessoas, produzir conhecimento e oferecer extensão e serviços promovendo o desenvolvimento institucional e regional.  Ademais, a Universidade, além de formar em nível de graduação, uma ampla gama de profissionais da área da saúde e de outras áreas que tem relação com a saúde do trabalhador, mantem cursos de pós-graduação como é o caso do Mestrado em Biociências em Saúde, que tem uma linha dedicada às pesquisas científicas sobre o tema, com inúmeras dissertações e trabalhos científicos já publicados por seus pesquisadores e mestrandos em periódicos científicos de  renome nacional e internacional — destacou o coordenador do Mestrado de Biociências em Saúde, professor Doutor Jovani Antônio Steffani.

Após a cerimônia de lançamento, os presentes foram recepcionados em um coquetel no qual também ocorreu o lançamento de um CD educativo com músicas sobre segurança e saúde do trabalhador. Já os estudantes, que tiveram os desenhos e redações publicados no livro, realizaram uma sessão de autógrafos. 

Maiores detalhes:

>> CLIQUE AQUI <<

II SIMPÓSIO EM BIOCIÊNCIAS, SAÚDE, EDUCAÇÃO E SOCIEDADE
I JORNADA ACADÊMICA INTERDISCIPLINAR DE LIGAS ACADÊMICAS DO CURSO DE MEDICINAIII ENCONTRO DISCENTE DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DO PROFISSIONAL MÉDICO – EDAM
I SEMINÁRIO DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO HUST
SUBMISSÃO DE TRABALHOS

PROGRAMAÇÃO

>> CLIQUE AQUI <<

DATA

09 de Outubro de 2017 a 11 de Outubro de 2017

HORÁRIOS

Conforme a programação

LOCAL

Auditório Afonso Dresch - Campus I - Unoesc Joaçaba

 

I SEMINARIO MACRORREGIONAL DE SAÚDE COLETIVA
I ENCONTRO MACRORREGIONAL DA ATENÇÃO BASICA.
I MOSTRA CIENTÍFICA DE TRABALHOS, EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS ESF/NASF
OBJETIVOS

Contribuir na qualificação técnica necessária para atuar no campo da Saúde Pública;
Oportunizar a ampliação do conhecimento de temáticas pertinentes a Saúde Coletiva numa perspectiva multiprofissional e interdisciplinar;
Possibilitar aproximação teórico-prática do panorama da Atenção Básica no âmbito da Macrorregião de Saúde do Grande Oeste de Santa Catarina;
Conhecer e socializar trabalhos acadêmicos, pesquisas científicas, vivências e práticas no âmbito da Saúde Pública Macrorregional.

PÚBLICO ALVO

Profissionais da Saúde, docentes e acadêmicos dos cursos da área da saúde e afins, gestores e conselheiros da saúde pública.

 

MAIORES INFORMAÇÕES:

>> CLIQUE AQUI <<

I Conferência Regional de Saúde do Extremo Oeste de Santa Catarina.

 

A realização I Conferência Regional de Saúde do Extremo Oeste de Santa Catarina, foi aprovada pela Comissão Intergestores Regional (CIR) formada por 30 municípios do extremo oeste catarinense que estiveram representados por 600 pessoas, na grande maioria mulheres (Trabalhadoras da Saúde; Gestores; Prestadores de Serviço, representantes de Movimentos Sociais, Sindicatos, Clubes de Serviços, Associações, Conselheiras, Universitárias e Usuárias do SUS). A Conferência foi realizada na cidade de São Miguel do Oeste, no dia 17/05/2017. O tema principal da Conferência foi: “Saúde das Mulheres: Desafios para a Integralidade com Equidade”. As palestras foram norteadas por quatro eixos temáticos, seguindo as orientações do Conselho Nacional de Saúde.

I. O papel do Estado no desenvolvimento socioeconômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres;
II. O mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres;
III. Vulnerabilidades nos ciclos de vida das mulheres na Política Nacional de Atenção Integral a Saúde das Mulheres;
 IV. Políticas Públicas para Mulheres e Participação Social.

Dentre os palestrantes, destaca-se a participação de Jorge Fernando Soares, enfermeiro e aluno do Curso de Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc, que falou sobre a Política Nacional Integral de Saúde LGBT e a Saúde da Mulher.

Mestrado em Biociências e Saúde sedia mais uma edição do Seminário de Saúde do Trabalhador

 

O 6º Seminário de Saúde do Trabalhador de Joaçaba ocorreu na noite desta quinta-feira, 4 de maio, no auditório Afonso Dresch da Unoesc Joaçaba. Além de apresentar os dados gerais de adoecimento do trabalhador, neste ano o foco foi o setor da metalurgia. O evento é alusivo ao dia 28 de abril, instituído pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho. O seminário também marca o “Abril Verde”, estabelecido por meio de uma Lei municipal, com o objetivo de reduzir os acidentes de trabalho e os agravos à saúde do trabalhador, bem como mobilizar a sociedade para prevenção das doenças que ocorrem em decorrência do trabalho.

A mesa de autoridades foi formada pela coordenadora do evento e da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (CISTT), Marisa Magali Maieski Wames, pelo presidente do Conselho Municipal de Saúde de Joaçaba, Jair Antonio Schüler, pelo vice-prefeito de Joaçaba, Jucelino Ferraz, pelo vereador de Joaçaba, Sergio Favretto, pelo secretário municipal da Saúde, Valmor Reisdorfer, pelo presidente da Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos de Santa Catarina, Evaldo Gramkow, pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Joaçaba e Herval d’Oeste, Odenir José Contini, pelo vice-presidente para assuntos regionais do centro-oeste, da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Márcio Luís Dalla Lana.

Atualmente, em torno de cinco mil mortes por dia (3,5 mortes por minuto) ocorrem no mundo provocadas por acidentes e doenças do trabalho. No Brasil são 23,28 mortes por dia. Tendo em vista estes números, o Conselho Municipal de Saúde de Joaçaba criou no ano de 2010 a CISTT, com o objetivo de assessorar o Conselho nesse assunto e propor alternativas para minimizar esses dados na região. Uma das estratégias iniciais da CISTT foi a realização do seminário para discussão do tema.

— A 6ª edição do seminário começou com a fala do diretor superintendente da FIESC-SESI/SC, Fabrizio Machado Pereira, sobre o impacto e o prejuízo econômico do adoecimento dos trabalhadores para as empresas. Em seguida, José Alvaro Cardoso, economista e supervisor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (DIEESE) discutiu os riscos físicos, químicos e biológicos do adoecimento no cenário nacional. E, na sequência, o secretário executivo do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Busque, Jorge Putsch, trouxe os dados do adoecimento no setor — explicou a coordenadora do evento, Marisa Magali Maieski Wames.

O coordenador do Programa de Pós-graduação Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc, professor doutor Jovani Antonio Steffani, afirmou que essa parceria visa cumprir a missão da universidade e do programa de mestrado que é atuar como agente de desenvolvimento regional pautada em valores como a responsabilidade social, promovendo o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida das pessoas em sua área de abrangência.

— Hoje as doenças que mais afetam e matam a população estão relacionadas ao trabalho. Elas matam mais do que as doenças infecciosas. Nesse contexto, o mestrado em Biociências e Saúde tem como prioridade participar da vida da população e fornecer o suporte e a base científica e tecnológica para a realização deste evento interinstitucional promovido em parceria entre SUS, Sindicatos Patronais e dos Trabalhadores, INSS, Justiça do Trabalho e a Unoesc — ressaltou o doutor Jovani.

Esse evento se aliou ao programa Trabalho Seguro, que existe desde 2012, e é desenvolvido pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) e pelos Tribunais Regionais Federais (TRF). A juíza do Trabalho em Joaçaba, Lisiane Vieira, que esteve presente representando a Justiça do Trabalho, relatou que o programa visa ações de prevenção, educação e conscientização, e é uma oportunidade para compartilhar atitudes que deram certo. Nesse sentido, foi lançado durante o evento o concurso de redação e de desenhos direcionado às crianças das escolas públicas de Joaçaba, Herval d’Oeste e Luzerna, cujo tema será “O Trabalho Seguro”, alinhado ao programa capitaneado do TST, fomentando a discussão e a formação da consciência para o problema e condicionando para a educação e formação de uma cultura de prevenção junto às crianças, que serão os futuros trabalhadores submetidos aos riscos ocupacionais.

— Desde 2004, a Justiça do Trabalho assumiu a competência para julgar as ações de indenizações decorrentes de acidentes, doenças e mortes relacionadas ao trabalho. Essas questões ficaram muito próximas de nós.  E, ao contrário da hora extra e de outras verbas que podem ser reparadas e cobradas, uma morte ou uma mutilação não são possíveis de reparo. Por isso, percebemos que era preciso trabalhar a prevenção e, assim, surgiu o programa Trabalho Seguro — contou a juíza Lisiane Vieira.

Segundo o professor Jovani, as ações da CISTT não param por aqui, até o próximo evento, ações políticas e outras estratégias serão implementadas para que a segurança e a saúde dos trabalhadores sejam prioridade no mundo do trabalho, como por exemplo, será acompanhada a implantação da Vigilância em Saúde do Trabalhador (VISAT), pelo SUS local. 

 

>> CLIQUE AQUI <<

Livros publicados por professores do Programa de Pós-graduação Mestrado em Biociências e Saúde, da Unoesc Joaçaba.

O Projeto Guaraná foi subsidiado pelo CNPq e teve participação do professor do Mestrado em Biociências e Saúde Dr. Marco Aurélio Echart Montano, confira o vídeo:

>

Debate sobre a PEC 241, será realizado na Unoesc Joaçaba 

Nesta terça-feira (25), das 14h às 16h, no auditório da Saúde, no campus II da Unoesc Joaçaba, ocorrerá o debate sobre a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241. A proposta visa limitar as despesas do governo federal, por até 20 anos. A PEC, que dominou as discussões na imprensa e nas redes sociais, coloca em questão se é a opção mais viável para equilibrar as contas públicas e conter a crise econômica.

 

O coordenador do mestrado em Biociências e Saúde, professor doutor Jovani Antônio Steffani, afirma que se a PEC 241 for aprovada na forma como está, representará a possibilidade de grandes dificuldades para o SUS, para a Previdência Social, a Educação e a Assistência Social.

— Estamos acompanhando o encaminhamento e a aprovação de projetos importantes, que representem impacto importante para a sociedade brasileira de aspectos para além das questões meramente econômicas, e que não estão sendo debatidos, mas, simplesmente, sendo encaminhadas pelo Poder Executivo Federal e aprovados pelo Legislativo sem o necessário debate de particularidades importantes e sem a participação do povo e dos profissionais das áreas diretamente envolvidas — relatou.

Neste sentido, a Unoesc por meio do Programa de Mestrado em Biociências e Saúde sediará o evento que receberá o presidente da Federação dos Trabalhadores Municipais de Santa Catarina (Fetram/SC), professor Lizeu Mazzioni, para apresentar o teor da PEC 241 e sua repercussão em cada uma das políticas públicas.

— Desta forma estaremos proporcionando um espaço para o debate, e ampliação do conhecimento qualificado deste tema, bem como o debate e esclarecimento de dúvidas sobre esta questão — ressaltou o professor Jovani.

O evento, aberto ao público, é promovido pela Associação de Profissionais de Serviço Social do Meio Oeste de Santa Catarina (Aprossmosc), pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Joaçaba (Sitespm) e pelo Programa de Pós-Graduação Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc

A CIST – Comissão Intersetorial em Saúde do Trabalhador de Joaçaba, promoveu um importante evento envolvendo os quatro candidatos a Prefeito de Joaçaba, Armindo Haro Neto – representado pelo vice, Ademir Righi, Deoclécio Ragnini, Juliano Pedrini e Marcos Weiss. Todos se comprometeram em instituir o VISAT – Vigilância em Saúde do Trabalhador, integrado aos demais serviços do SUS. Um serviço importante, materializando a saúde do trabalhador no município. O encontro ocorreu sala de reuniões do Sindicato do Comércio de Joaçaba e reuniu representantes de diversas entidades sindicais.

Fonte: Nativa Comunicação

Confira a matéria na íntegra  >> CLIQUE AQUI<<

​Curso de Redação Científica - Dr. Gilson Volpato

 

O Programa de Pós-graduação Mestrado em Biociências e Saúde, da Unoesc Joaçaba, realizará, no dia 03 de junho, das 8h às 12h e das 14h às 18h, “Curso de Redação Científica”. O evento acontecerá no auditório Afonso Dresch, no campus I da universidade.

Participarão do evento professores e alunos dos cursos de graduação e pós-graduação da Unoesc.  

Dr. Gilson Luiz Volpato será a responsável por conduzir a palestra. O professor é Doutor e Mestre em Ciências Biológicas (Zoologia) pela UNESP, IB, Rio Claro. Possui Pós-doutorado pelo Institute of Animal Sciences, na Agricultural Research Organization, Bet-Dagan, Israel. Graduado em Ciências Biológicas Licenciatura pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Botucatu. Docente do Departamento de Fisiologia do Instituto de Biociências de Botucatu, UNESP - desde 1981; é professor adjunto-III (livre-docente). Bolsista de produtividade em pesquisa, nível 1B, pelo CNPq. Coordenador do grupo de pesquisas Centro de Estudos sobre Bem-estar Animal - junto ao CNPq. Presidiu a Comissão dos Editores Científicos da Unesp durante 4 anos, nas três áreas do saber. Foi coordenador de pós-gradução, chefe de departamento, presidiu a Comissão de Pesquisa do IBB-UNESP, e atuou como avaliador de pós-graduação junto à Capes. Atua há 29 anos nas áreas de Metodologia, Redação e Publicação Científica, onde publicou 10 livros (total de 19 edições) e ministra anualmente dezenas de cursos, workshops e palestras em todo o território nacional. 

Maiores informações sobre o evento podem ser obtidas na secretaria do Mestrado em Biociências e Saúde pelo telefone (49) 3551-2112 ou e-mail: ppgbs@unoesc.edu.br.

 

INSCRIÇÕES:

>> CLIQUE AQUI <<

 

V Seminário de Saúde do Trabalhador

 

O 5º Seminário de Saúde do Trabalhador, tendo nesta edição como temática o trabalho na construção civil, será promovido no auditório Afonso Dresch, da Unoesc Joaçaba, no dia 5 de maio. O evento, realizado pelo Conselho Municipal de Saúde, por meio da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador (CIST), conta com o apoio do Mestrado em Biociências e Saúde, da Unoesc.

Para participar do Seminário basta preencher a ficha de inscrição disponível no site do Conselho, até o dia 4 de maio. A palestra de abertura abordará o tema “Contextualização do trabalho na Construção Civil – mercado forma e informa: precarização e insegurança”, ministrada pela presidente da CIST, Marisa Magali Maieski Wames, e pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Pedro Nogueira.

A procuradora do Trabalho, Priscila Maria Ribeiro, o engenheiro civil, Jean Iadroxitz, e o representante do superintendente regional do Ministério do Trabalho e Emprego, Geraldo Ismael Bays, também estarão debatendo a temática da construção civil na ocasião. Durante o evento ainda acontecerá a premiação do concurso fotográfico, cujo regulamento está disponível na internet.

Como a Unoesc é uma das instituições com representação na CIST, o Mestrado em Biociências em Saúde é o responsável por viabilizar o apoio necessário à realização do evento, garantindo a integração entre a comunidade em geral e diferentes instituições da sociedade com a comunidade acadêmica.

— O apoio da Unoesc por meio do mestrado visa cumprir a sua missão de formar pessoas, produzir conhecimento e oferecer extensão e serviços, promovendo o desenvolvimento institucional e regional — comentou o coordenador do Mestrado, professor doutor Jovani Antonio Steffani.  

A Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhor é um órgão consultivo e de assessoramento do Conselho Municipal de Saúde que tem como principal objetivo o estudo e a discussão da relação saúde e trabalho, de forma ampla e intersetorial, propondo alternativas que possam vir a minimizar os efeitos de adoecimento provocados pela atividade laboral do cidadão.

"Vídeo do Seminário de Saúde do Trabalhador" 

>> CLIQUE AQUI <<

 

Inscrição:

>> CLIQUE AQUI <<

 

 

 

Curso de Regionalização e Redes de Atenção à Saúde - Dra. Adelyne Maria Mendes Pereira

O Programa de Pós-graduação Mestrado em Biociências e Saúde, da Unoesc Joaçaba, realizará, no dia 14 de abril, a partir das 19h, a palestra “Redes de atenção à saúde: desafios e possibilidades”. O evento acontecerá no auditório da área das Ciências da Vida, no campus 2 da universidade.

Participarão do evento professores da área da saúde e do Programa, alunos dos cursos de graduação e mestrandos. Conforme a professora Sirlei Fávero Cetolin, refletir sobre os desafios e possibilidades das redes de atenção à saúde é o objetivo principal do evento.  

Adelyne Maria Mendes Pereira será a responsável por conduzir a palestra. A professora é doutora em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Fiocruz, mestre em Saúde Pública com concentração em Planejamento e Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde pela ENSP/Fiocruz e enfermeira graduada pela Universidade Federal de Alfenas (MG).

Maiores informações sobre o evento podem ser obtidas na secretaria do Mestrado em Biociências e Saúde pelo telefone (49) 3551-2112 ou e-mail: ppgbs@unoesc.edu.br.  

II Simpósio CONCEA debateu a integração com Comissões de Ética no Uso de Animais

 

O II SIMPÓSIO CONCEA – 2015 aconteceu em Brasília, no período de 23 a 25 de novembro, com o tema “INTEGRAÇÃO ENTRE AS CEUAs e CONCEA: LEGISLAÇÃO E CONHECIMENTO”, a ser realizado no auditório "Parlamundi da Legião da Boa Vontade – LBV", situado à SGAS 915 - Lotes 75/76, Asa Sul.

Com o Simpósio, o CONCEA propiciou o encontro das CEUAs de instituições credenciadas pelo CONCEA objetivando a aproximação entre elas e seu diálogo com o Conselho. Foram oferecidas palestras, mesa redonda e dinâmica de grupo com o intuito de uniformizar o entendimento e a prática da legislação existente no que tange ao uso dos animais nas atividades de ensino ou pesquisa no Brasil. Contou com a presença de um representante da CEUA de sua Instituição, afim de discutir e alinhar as ações necessárias para a correta aplicação da legislação e o desenvolvimento científico e econômico do País. 

O Simpósio contou com a presença do professor e coodenador do programa em Biociências e Saúde, Dr. Jovani Antônio Steffani.

 

>> CLIQUE AQUI <<

 

 

Medscape Medical News

http://www.medscape.com/viewarticle/853912?nlid=90583_2982&src=wnl_edit_dail&uac=138317DR&impID=877154&faf=1#vp_1

BMJ Retracts 1989 Paper by 'Rogue' Scientist

Veronica Hackethal, MD

November 04, 2015

The BMJ has retracted a study published in 1989 after determining its findings were fraudulent. The retraction comes amid long-running controversy about scientific misconduct by senior author Ranjit Kumar Chandra, MD, PhD, formerly from Memorial University in St John's, Newfoundland. Dr Chandra is an internationally renowned nutrition researcher who has received numerous awards.

The retracted study was supported by the National Health Research Development Programme, Health and Welfare Canada, and the Mead Johnson Canada division of Bristol Myers. It claimed to be a randomized trial in which women with a family history of atopy and who planned to breast-feed were randomly assigned either to dietary avoidance of five common food allergens or to an unrestricted diet. Mothers without plans to breast-feed were randomly assigned to hypoallergenic casein hydrolysate, soy milk, or cow's milk formulas, all made by Mead Johnson Canada.

The authors claimed there were fewer and milder cases of eczema among babies who received casein hydrolysate compared with the soy and cow's milk formulas. Likewise, the researchers reported fewer and milder cases of eczema among breast-fed babies whose mothers followed a restricted diet compared with breast-fed babies whose mothers had unrestricted diets. The authors recommended that women with a family history of atopy avoid certain allergenic foods while breast-feeding, and that formula-fed babies of such mothers should drink formula with casein hydrolysate.

In a feature article published October 28 in the BMJ, freelance journalist Caroline White detailed the longstanding controversy about Dr Chandra.

Initial suspicions about Dr Chandra go back to 1993, when Vincent Osundwa, MD, who occupied the office next to Dr Chandra's research nurse Marilyn Harvey, questioned his scientific conduct. In 1994, Harvey reported to Memorial University that Dr Chandra may have falsified data, which triggered a preliminary internal investigation. Dr Chandra later tried to sue Harvey.

In 1995, Memorial did a second investigation called the Klefte report, which found Dr Chandra guilty of scientific misconduct, although the university failed to make these findings public. Investigators could not locate Dr Chandra's raw data, which Dr Chandra may have thrown away, according to White. The report highlighted Dr Chandra's "remarkable lack of communication and openness" in his research, including very little involvement with coauthors.

The university failed to act on the report's findings because Memorial is a publicly funded institution and Dr Chandra had threatened to sue, White reports.

In 2002, the BMJ rejected a follow-up to a study Dr Chandra had previously published in the Lancet in 1992. Peer review had raised doubts about whether Dr Chandra, as the only author, could have conducted such a large trial, and that "the data had all the hallmarks of being entirely invented." The prior 1992 study had claimed that a vitamin supplement patented by Dr Chandra improved memory in older people.

The BMJ raised concerns to Memorial, which replied that no case existed, while neglecting to mention the Klefte report. The BMJ requested raw data for examination, but Memorial declined, saying Dr Chandra had taken an unpaid leave of absence and had not responded to requests.

Dr Chandra then resigned after 27 years at Memorial and moved to Switzerland and India. In the meantime, Nutrition published the rejected BMJ paper. A study with similar conclusions as the Nutrition paper was also published in Nutrition Research, a journal founded and edited by Dr Chandra. One of the authors of that paper, Amit Jain, has never been identified.

In 2003, a letter to the Lancet raised doubts about the original 1992 Lancet study, stating that "some of the standard errors were statistically impossible." Yet, after review, the Lancet did not retract the paper. Also in 2003, a letter and editorial raised serious doubts about the 2001 Nutrition study.

In 2004, the Canadian Institute of Health Research said it could not investigate the Lancet and Nutrition papers because they did not fund the studies.

In 2005, Nutrition finally retracted the 2001 study, after which Dr Chandra threatened a $5 million lawsuit.

In 2006, a three-party documentary about Dr Chandra's scientific misconduct and possible financial deception aired on CBC. The series finally made the Klefte report public. In turn, Dr Chandra sued CBC, Jack Strawbridge (director of faculty relations at Memorial University), and Memorial for $132 million. Memorial later settled out of court with Dr Chandra. The court ruled in favor of CBC and ordered Dr Chandra to pay court fees.

In 2007, another independent report by Memorial found that the integrity of the institution's research procedures were "sound" and recommended further investigation into Dr Chandra.

Who Is to Blame?

Marc Masor, PhD, who managed and monitored Dr Chandra's infant formula study, believes Memorial is "ultimately culpable," and that the companies who funded the studies also share the guilt.

"If they were properly monitored, how could [Mead Johnson] possibly 'lose track of the study' [as it had told CBC], and how could Nestlé not be aware that their studies were published before the subjects were even enrolled?" Dr Masor rhetorically asked White.

In a statement to the BMJ, Catherine O'Brien, vice president of corporate affairs at Nestle Canada, said blame also falls on the journals who published the fake data, because they have a responsibility to ensure the accuracy of the scientific record.

Michael Meguid, MD, PhD, the editor of Nutrition, said he "accepts the blame," admitting he was "bamboozled" by Dr Chandra's reputation and "the lure" of publishing the follow-up of a study published in the Lancet, which could boost Nutrition's impact factor.

"[T]here's no question that an aura around an individual as being a good and important scientist and a man of distinction influences one's perception," Dr Meguid told White.

Dr Chandra has published more than 200 studies. So far, only the Nutrition and BMJ articles have been retracted. The BMJ has also contacted six journals listed in the Klefte report, and four have said they will review these issues.

Dr Chandra currently works as the managing director of a company based in India called Peridot Life Sciences, which sells nutritional supplements and has attracted the attention of the Indian government. Altogether, Dr Chandra has amassed about $2 million hidden in a "labyrinth of bank accounts," including offshore accounts, according to White. Dr Chandra claims the funds are held in trust for research purposes. He has refused to comment to the BMJ.

In a related editorial, Richard Smith, former editor-in-chief of the BMJ, and Fiona Godlee, current editor-in-chief of the BMJ, highlight claims made in the CBC programs that Dr Chandra received "substantial funding" for studies he never carried out, as well as the vitamin business he established, for which he used "fraudulent studies to encourage sales." Dr Chandra's case is "egregious," and "a major failure of scientific governance," they assert.

"This saga highlights a collective failure to defend the integrity of science," they write. "It is shameful that the university, Canadian authorities, and other scientific bodies have taken no action against Chandra and that is [sic] has been left to the mass media to expose his fraud. The biggest failing lies with the university."

The university, Canadian authorities, and the scientific community should learn from this case, the editors urge, by conducting an independent public inquiry and sharing its findings with the world. Moreover, they raise the possibility that scientific misconduct should become a criminal offense.

"All human activity includes misconduct, and there will be rogue scientists. What matters is how we respond when it occurs," they emphasize. "Science still has time to put its own house in order, but that time may quickly pass."

White has disclosed no relevant financial relationships. Smith, the former editor-in-chief of the BMJ, has appeared in the CBC programmes and gave evidence on behalf of CBC in the libel trial against it. He had his expenses paid to travel to Toronto but was not paid a fee.

BMJ. 2015;351:h5683, h5694. Feature full text, Editorial full text

Visualise:

http://www.unoesc.edu.br/images/uploads/mestrado/BMJ_Retracts_1989_Paper_(1).pdf

 

 

Objetivo

Promover o conhecimento básico de aspectos das neurociências para que educadores e profissionais relacionados a educação possam aplicar as bases do conhecimento da neurobiologia nas atividades de ensino, e melhor compreender a interface saúde/educação.

Público-Alvo

Professores de todas as áreas do conhecimento, pedagogos, psicológos, psicopedagogos, gestores escolares e demais profissionais ligados a educação.

>> INSCREVA-SE AQUI <<

Período

05 a 08/10/2015

Horários

Das 18h30 às 22h30

Carga horária

16 horas

Vagas

25

Início das aulas

05 de outubro de 2015

Local

Unoesc Joaçaba

Investimento

2 parcelas de R$ 135,00 cada

Coordenador

Prof. Jovani Antonio Steffani
E-mail: jovani.steffani@unoesc.edu.br

 

    INSCRIÇÕES:

>> CLIQUE AQUI <<

A CAPES foi uma das principais apoiadoras da 4ª Conferência Mundial sobre Integridade em Pesquisa (4th World Conference on Research Integrity, 4WCRI), maiores detalhes em www.wcri2015.org), que ocorreu no Rio de Janeiro entre os dias 31 de maio e 3 de junho de 2015, e contou com a participação de pesquisadores e representantes de todos os cinco continentes do globo. A primeira Conferência Mundial inaugural teve lugar em Lisboa, Portugal, há 8 anos, em Singapura em 2010,  e em Montreal no Canadá em 2013.

A Unoesc se fez representar neste evento mundial por meio da participação do Prof. Dr. Bruno Schlemper Jr, professor permanente do Programa de Mestrado em Biociências e Saúde. 

No mundo atual, a produção científica e intelectual, como um todo, tem se tornado a grande moeda de  valor globalizado, um verdadeiro motor da economia, influenciando o comportamento das pessoas direta e indiretamente envolvidas com a pesquisa. 

A  preocupação com a ética e a integridade na pesquisa começa a ser foco de interesse a partir dos anos 1980, sobretudo nos Estados Unidos, quando algumas das principais revistas científicas começaram a chamar a atenção para os casos de fraudes científicas que vinham acontecendo em algumas instituições de prestígio, envolvendo pesquisadores renomados. Tais fatos foram rapidamente midiatizados chamando a atenção não só das instituições, mas também da sociedade em geral, exigindo uma posição dos principais atores envolvidos, no caso as instituições de pesquisa.

INSCRIÇÃO

Clique aqui

DATA DO EVENTO

09/07/2015

VAGAS

119 vagas

LOCAL

Auditório da Área das Ciências da Vida (conhecido como auditório da odonto), ao lado da sala da coordenação do Mestrado em Biociências e Saúde.

HORÁRIOS

Das 19h15 às 21h30

A análise de proteínas através da proteômica vem ganhando espaço tanto no mundo acadêmico quanto nas indústrias e nas análises clínicas. Em especial, tem demonstrado potencial para a aplicação na caracterização de proteínas, tanto como alvos para quimioterápicos quando para alvos no diagnóstico, assim como a identificação de micro-organismos utilizando a espectrometria de massa. Neste sentido, este curso trará noções básicas de proteômica e espectrometria de massas aplicada a microbiologia, em especial a bactérias e parasitos. 

PÚBLICO-ALVO

Mestrandos, Professores, Graduandos e professores da ACV (Área das Ciências da Vida), da Unoesc ou de outras instituições de ensino. Laboratórios de análises clínicas, pesquisadores de centros de pesquisa (EMBRAPA - Concórdia, EPAGRI, CIDASC) e Secretarias de Saúde (Regionais de saúde).

PROGRAMAÇÃO

Título da Palestra/Disciplina Matriz Curricular

 Período (data/horário)

Ministrante

Titulação

IES - Origem

Carga horária

Turno

Início

Término

Introdução a Genômica e Proteômica

8:00

10:00

Dr. Hércules Moura

Doutor

CDC / USA

2h

Matutino

Princípios de separação de proteínas: eletroforese e cromatografia

10:30

12:30

Dr. Glauber Wagner

Doutor

Unoesc

2h

Matutino

Proteômica: workflow de análise

14:00

15:30

Dr. Hércules Moura

Doutor

CDC / USA

1h30mim

Vespertino

Bases da espectrometria massas: instrumentação

16:00

18:00

Dr. Hércules Moura

Doutor

CDC / USA

2h

Vespertino

Métodos de fragmentação e sequenciamento de peptídeos usando espectrometria de massas

8:00

10:00

Dr. Glauber Wagner

Doutor

Unoesc

2h

Matutino

Análise quantitativa: bases e Selected Reaction Monitoring (SRM)

10:30

12:30

Dr. Hércules Moura

Doutor

CDC / USA

2h

Matutino

Selected Reaction Monitoring (SRM) em microbiologia

14:00

15:30

Dr. Glauber Wagner

Doutor

Unoesc

1h30mim

Vespertino

Proteômica de parasitos

16:00

18:00

Dr. Glauber Wagner

Doutor

Unoesc

2h

Vespertino

Espectrometria de massas em microbiologia e parasitologia

8:00

10:00

Dr. Hércules Moura

Doutor

CDC / USA

2h

Matutino

Identificação de micro-organismos  baseadas em MS

10:30

12:30

Dr. Hércules Moura

Doutor

CDC / USA

2h

Matutino

Discussão e avaliação do curso

14:00

15:00

Dr. Hércules Moura

Doutor

CDC / USA

1h

Vespertino

O Mestrado em Biociências e Saúde da Unoesc Joaçaba promoveu nesta sexta (06/03/2015), às 19h30, no auditório Afonso Dresch, sua primeira aula magna. O encontro teve como tema principal o estudo de micro-organismos causadores de doenças humanas utilizando a proteômica.

A apresentação desta abordagem inovadora foi feita pelo professor Hércules Moura, em português. Para participar não foi preciso efetuar inscrição. Toda a comunidade foi convidada e a entrada era gratuita.

How to catalyse collaboration

>> CLIQUE AQUI <<

INTERDISCIPLINARY RESEARCH BY THE NUMBERS

>> CLIQUE AQUI <<

Acadêmicos de Medicina, Odontologia e Enfermagem além de professores e profissionais da área da saúde estiveram reunidos, no dia 20 de julho, no auditório da Área das Ciências da Vida e Saúde (ACVS) no campus 2 da Unoesc Joaçaba participando de uma palestra sobre o papiloma vírus humano (HPV) e câncer de cabeça e pescoço. Os assuntos foram abordados pelo pesquisador doutor Frederico Gleber Netto.

Graduado em odontologia e mestre em Patologia Bucal pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e doutor em oncologia pelo AC Camargo Cancer Center, doutor Frederico, mora e executa pós-doutoramento no MD Anderson Cancer Center, Universidade do Texas, nos Estados Unidos. Além disso, tem experiência nas áreas de genômica (sequenciamento de DNA em larga escala), biomarcadores do câncer e no uso da saliva como meio diagnóstico e prognóstico.

Em sua fala, o pesquisador apresentou os resultados de suas pesquisas sobre o papel do HPV como agente causal do câncer de cabeça e pescoço. Segundo ele, há algumas décadas, os tumores na região da orofaringe eram muito associados com o uso de cigarro e álcool, porém, com as políticas públicas de inibição do consumo de tabaco percebeu-se pacientes desenvolvendo tumores relacionados a infecção por HPV. Ele afirmou ainda, que não se sabe exatamente se esses tumores causados por HPV já existiam antes da inibição do tabaco, mas, estudos evidenciam, que o número de pacientes infectados pelo vírus aumentou.

— Os alunos precisam sair da universidade com a ideia de que irão vivenciar a atividade profissional com uma característica clínica absolutamente distinta do que aquela que seus professores viveram. E o desafio é conhecer e entender essas mudanças — afirmou o professor doutor Frederico Gleber Netto.

A palestra foi promovida pelo Mestrado em Biociências e Saúde, que também oportunizou que seus alunos tivessem uma aula com o pesquisador. Essa foi primeira vez que o doutor Frederico veio à Unoesc.

— O objetivo, além de compartilhar conhecimento técnico com os acadêmicos, foi aproximar o Programa de Mestrado dos cursos de Graduação. Buscamos oportunizar que os acadêmicos tenham contato com um importante pesquisador na área, e que possam entender um pouco como funciona a ciência e a pesquisa de ponta fora do país — afirmou o professor Antuani Baptistella, que atuou na organização da atividade.

ATUALIZAÇÃO EM: Aedes Aegipti: doenças, transmissão e prevenção

Voltar
Acesse o site da Unoesc pelo seu celular.
Newsletter Unoesc
Envie seu endereço de e-mail para receber nossos informativos.