Notícias Videira Ensino Graduação

Estudantes de Psicologia realizam estudos no IML e clínica de recuperação

Por: João Luiz Bariviera
joao.bariviera@unoesc.edu.br
22 de Agosto de 2017

Acadêmicos da 4ª e 6ª fase​s​ do curso de Psicologia da Unoesc Videira estiveram no sábado (19​)​, realizando visitas de estudos ao Instituo Médico ​L​egal de Joaçaba e Clínica Reviver no município de Ibicaré.

Pela​ ​m​anh​ã,​​ no IML, participaram de palestra sobre a realização de autópsias​ ​em suicidas, com Abel Petter,​ suicidólogo​ e​ estudante de Psicologia e Auxiliar Médico Legal do Instituto Geral de Perícias (IGP) de SC.

— Abordar o tema da morte é uma situação, muitas vezes, difícil. Quando o tema se amplia para o suicídio não é fácil compreender e explicar por​ ​que algumas pessoas decidem comet​ê-lo. Através do método “autópsia psicológica” pode-se compreender os aspectos ​mentais envolvidos em uma morte específica — disse Taisa Trombetta Demarco, coo​rdenadora do curso de Psicologia da Unoesc Videira.​ Ela explica que es​s​a prática serve para assessorar profissionais de área da Psicologia, Direito e Medicina​ ​​em classificar com maior precisão o registro do suicídio.

Já no  período da tarde​,​ os alunos conheceram a Clínica Reviver de Ibicaré e os processos de internação de dependentes químicos.

Segundo Taisa, a questão do uso abusivo das drogas​, há muito deixou de ser um problema psiquiátrico ou exclusivamente médico. As implicações sociais, psicológicas, econômicas e políticas são enormes e devem ser consideradas na compreensão global do problema.

Para Ronaldo Laranjeira (2012), nos últimos anos, sobretudo a partir da década de 80, assistiu-se ao fenômeno de expansão do narcotráfico e da sua estruturação como crime organizado em âmbito transnacional, causando prejuízos econômicos e sociais significativos às nações do mundo inteiro. No caso do Brasil, pode-se dizer que os impactos negativos causados pelo problema foram agravados pelo fato de o ​p​aís haver evoluído de simples rota, por onde a droga passava​ para ser exportada para as nações do primeiro mundo, especialmente as da América do Norte e Europa​,​ ​tendo se constitu​ído​ em florescente mercado consumidor.

Neste contexto, é indispensável preparar os futuros profissionais da área da Psicologia para que​,​ a partir de um aporte teórico, tornem​-se​ capazes de atuar em ações de prevenção, tratamento e reinserção social do dependente químico.

— Desta forma, torna-se importante o conhecimento destas práticas e experiências para os profissionais em formação da área da Psicologia — ​f​inaliza a coordenadora.

Galeria de Fotos

Comentários

Voltar Imprimir Notícia
Acesse o site da Unoesc pelo seu celular.